Agora é torcer!

iG Minas Gerais |

Quem acompanha minhas ponderações sobre a Copa e a Olimpíada no Brasil percebe que, desde sempre, fui contra os dois eventos no país. Os motivos são os mesmos da maioria das pessoas que não aprovam as duas competições no país: gasto de muito dinheiro público em coisas que não deveriam ser prioridade em uma nação que vive uma “guerra civil”, entulha seus cidadãos em hospitais – quando eles não morrem nas filas –, tortura seus presos em masmorras e os devolve piores à sociedade, empoleira suas crianças em “escolas” caindo aos pedaços e gasta bilhões com uma horda de assessores e regalias para políticos que já ganham salários exorbitantes, enquanto a grande parte de professores, médicos e policiais vivem em condições que qualquer país com vergonha na cara resolveria. Como se não bastasse tudo isso, o cenário político e econômico do Brasil às vésperas da Copa parece corroborar esse estado de coisas. Talvez pelo fato de o governo que trouxe o Mundial e a Olimpíada ser o mesmo que não consegue controlar a inflação, não consegue frear o aumento do desemprego, não consegue livrar o país de um PIB pífio e não consegue enxugar a máquina – cada vez mais inchada com os “companheiros” que orbitam o paraíso dos incompetentes, mas consegue fazer Copa e Olimpíada. Isso sem falar no apoio, até financeiro, a governos de países que desprezam frontalmente a democracia. Talvez seja nesses governos que esse pessoal esteja se inspirando para tentar controlar a imprensa no Brasil. Precisa mais? Porém, como diria Galvão Bueno, “Copa do Mundo é Copa do Mundo”! A bola vai rolar! Para quem gosta muito de futebol e está nele desde que se entende por gente, será extremamente difícil torcer contra a seleção, ainda mais se o gênio Neymar fizer o que tem plenas condições de fazer: arrebentar. Algo me diz que o garoto vai entrar para a história, com atuações extraterrenas que culminarão no hexa. Além de Neymar, a seleção tem um time muito forte. Laterais seguros na defesa e muito bons no apoio, os melhores zagueiros de área do mundo e volantes para todos os gostos. Os dois únicos pontos que poderão se tornar problemáticos são o gol e o comando do ataque, ambos pelo mesmo motivo: as posições têm grandes jogadores, mas suas condições não são confiáveis. Quanto a Julio Cesar, o problema é técnico. Ele já foi o melhor goleiro do mundo e, claro, não desaprendeu como se joga. Mas não é o mesmo da época de Inter de Milão. O que conforta são os reservas Jefferson e Victor, muito bons e na ponta dos cascos. Já no caso de Fred, a questão é física, e o reserva está em um patamar muito abaixo do titular, acho que nem em nível de seleção brasileira. Jô é um jogador tão somente mediano. Já os demais suplentes também deixam torcida e técnico muito tranquilos. Em relação aos adversários, a Alemanha é a seleção que mais oferece perigo. É um time jovem, muito bom tecnicamente e com a frieza germânica, que pode ser muito útil na hora de decidir. Quanto à Espanha, acho que a fase de ouro passou. A Argentina também deve ser considerada, mas pressinto que vai decepcionar de novo, assim como Messi, e não me perguntem o motivo, é achismo puro. Ah, nunca deve esquecer-se da Itália. Ô seleçãozinha, ou melhor, seleçãozona enjoada em Copas do Mundo. Já o Uruguai, torço para que vá o mais longe possível. Admiro muito o país, seu povo educado e cordial, sua carne melhor que a argentina, sua capital inebriante e a maneira como encara questões delicadas mas cruciais, sem a hipocrisia e o atraso feudal, coronelista, que emperram o Brasil.

Manifestações. A PM mineira mudou de estratégia, ainda que tarde, e não permitirá que se fechem estradas, ruas e avenidas, seja qual for a reivindicação. Passava da hora. Uma coisa são as passeatas de junho de 2013, com milhares de pessoas na rua. Outra é o que vimos na quarta-feira, com meia dúzia de manifestantes fechando a MG–010, que dá acesso a Confins, por quatro horas, e a polícia assistindo.

Para sempre. Espero que essa postura da PM seja adotada também após a Copa. O belo-horizontino não aguenta mais ficar parado em congestionamentos infindáveis devido a uma minoria que não respeita ninguém e acha que tem o direito de atrapalhar a vida de milhares de pessoas. Além dos mais, esse tipo de ação é burrice extrema. Até quem faz justas reivindicações, como professores, acaba ganhando só a antipatia da população.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave