MP fará varredura em festas de adolescentes em mansões de SP

Justiça barra baladas após denúncias sobre bebidas e sexo

iG Minas Gerais |

As baladas dos jovens paulistas estão na mira das autoridades
ANDREWTESTA/THENEWYORK TIMES/ARQUIVO
As baladas dos jovens paulistas estão na mira das autoridades

São Paulo. O Ministério Público Estadual (MPE) pretende fazer uma força-tarefa e apurar se há outras baladas irregulares que têm adolescentes como público-alvo na cidade de São Paulo. Promover eventos com jovens sem autorização pode terminar em uma multa administrativa, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O alvo da promotoria são também festas promovidas pelos próprios jovens. Os eventos ocorrem em casas e mansões alugadas por eles mesmos, sem a infraestrutura necessária, como banheiros e saídas de emergência. A divulgação é feita pela internet, por meio das redes sociais, o que as tornaram mais populares e fáceis de promover.

O problema é não haver restrição de venda de bebidas alcoólicas para menores de idade nem alvará de funcionamento. As residências alugadas também não passam por vistoria nem do Corpo de Bombeiros nem da prefeitura.

“A ideia é dar informações aos pais de que se precisa de um alvará para todas essas festas”, disse a promotora Luciana Bérgamo. “Os jovens que trabalham com esses eventos ganham uma certa sensação de status e isso tem chamado a atenção.”

Na semana passada, a Justiça barrou uma balada para adolescentes em um clube tradicional na zona Sul de São Paulo, depois que pais reclamaram que menores de idade tinham “conduta sexual inapropriada” e consumiam álcool no local. A festa ocorreria no sábado passado, no Clube Paineiras do Morumby, frequentado por famílias de classes média e alta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave