Alvará e taxa para “espirrar”

Coordenador do plano de governo de Aécio Neves afirma que União concentra poder e recursos

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Esperança. Anastasia conclamou um Brasil mais simples para que empresários possam produzir mais
Uarlen Valerio/ VB
Esperança. Anastasia conclamou um Brasil mais simples para que empresários possam produzir mais

Araxá. Coordenador do plano de governo do presidenciável Aécio Neves (PSDB) e pré-candidato ao Senado em Minas, Antonio Anastasia criticou nessa sexta a concentração de poder no governo federal. Para o ex-governador, o centralismo da União vai levar o cidadão a uma situação “esdrúxula”. “Para espirrar, vamos ter que pedir alvará e pagar uma taxa”, afirmou. A declaração foi feita durante o evento Conexão Empresarial, em Araxá.  

“Há uma centralização que colocou no governo federal não só 70% de tudo o que arrecada no Brasil, mas mais do que isso, concentrou na esfera federal o poder decisório de quase tudo. Isso é muito grave porque sabemos que, quanto mais próximo do problema está o poder decisório, a solução virá mais célere e mais barata”, disse.

Segundo Anastasia, o governo federal não entende assim e atravessa uma espécie de “atavismo que quer concentrar poder, poder e poder”. “Poder para chegar ao ponto de o governo central chegar a entregar caminhão de lixo a pequenas prefeituras”, criticou Anastasia, sendo muito aplaudido.

O candidato ao Senado disse que “a distorção brasileira” vem ganhando corpo. “E é impossível nós resolvermos porque, do contrário, para controlar uma máquina tão grande, é mais burocracia, são mais procedimentos, mais dificuldades que surgem”.

Anastasia conclamou a simplicidade e a descentralização. “O Brasil precisa de menos governo e mais governança”, atacou. Arrancando mais aplausos da plateia de empresários, Anastasia disse que, “daqui a pouco, para espirrar, vamos ter que pedir alvará e pagar uma taxa”. O candidato avaliou que o processo chegou a tal ponto que não se tem mais autonomia mínima. “Não podemos imaginar mais um Estado tão centralizador como estamos tendo”, afirmou.

Já no fim da palestra, o candidato disse que está fazendo o “trabalho de levantamento do plano de governo do senador Aécio, e é interessante ver a enxurrada de boas ideias e contribuições de pessoas valorosas que apresentam as sugestões para serem aplicadas e que são viáveis”.

Anastasia pediu “ousadia e coragem” para mudar o país – indicando Aécio como o pré-candidato que possui essas características. “Ele é de Minas Gerais, e eu tenho certeza que teremos não só as ideias, que nós vamos ter novos tempos no Brasil. No próximo ano, aqui nesse mesmo evento, já apresentaremos resultados valiosos com base em ideias singelas, eficiência, descentralização, para que os empresários possam trabalhar com otimismo, gerando empregos, renda e riqueza para o Brasil”.

Licença

Agosto. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve se afastar do mandato no início do mês de agosto para se dedicar exclusivamente à disputa presidencial. O pedido de licença deve ser feito na tribuna.

“Dilmão” Rio. Prefeitos aliados da presidente Dilma Rousseff e do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidatos à reeleição, preparam o lançamento do movimento “Dilmão”, em reação ao “Aezão” (chapa que une Pezão e o pré-candidato tucano a presidente, Aécio Neves), lançado nessa quinta. Santa Catarina. Nessa sexta, em Florianópolis para anunciar a liberação de recursos para obras de infraestrutura e assistir à formatura de alunos do Pronatec, Dilma foi recebida por protesto de três categorias: professores federais, funcionários dos Correios e enfermeiros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave