Pimentel e Pimenta fazem embate em evento empresarial

Pré-candidatos ao governo de Minas confrontam análises e criticam administrações dos adversários

iG Minas Gerais | Helenice laguardia |

Pimenta da Veiga afirmou que a situação do país é preocupante
Uarlen Valerio/ VB
Pimenta da Veiga afirmou que a situação do país é preocupante

Araxá. Em discursos de quase 20 minutos, os pré-candidatos ao governo de Minas Fernando Pimentel (PT) e Pimenta da Veiga (PSDB) foram para o embate no primeiro encontro que tiveram em um mesmo evento. Foi em Araxá, no Alto Paranaíba, onde acontece até neste domingo o Conexão Empresarial. O evento mostrou o tom que a campanha deverá ter e apontou para a inevitável comparação entre as gestões estadual (PSDB) e federal (PT).

Fernando Pimentel, o primeiro a falar, criticou a segurança no Estado, afirmou que o governo não tem diálogo com os prefeitos e não tem um projeto de desenvolvimento econômico. “Minas não está tão bem quanto a propaganda e o marketing da nossa realidade poderiam dizer”. Pimenta da Veiga rebateu e disse que há 12 anos se iniciou em Minas um poderoso trabalho de transformação. “Quanto ao Brasil, não posso dizer o mesmo”. Para comprovar o que disse, o petista lembrou índices de criminalidade. “Nós somos, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o pior índice da resolubilidade dos crimes e das infrações. É o pior Estado em apuração de crimes”, afirmou. Ele ainda criticou a ausência do Estado. “Eu pergunto: Embaixo estão os municípios, em cima o governo federal e no meio? E no meio, uma ausência enorme do governo do Estado”, disse Pimentel. Ainda falando sobre o vazio político do governo do Estado, ele ainda reclamou da falta de projeto econômico para Minas Gerais. “Temos um déficit de atenção, atuação, determinação política para conduzir o Estado no rumo do crescimento econômico. Minas não se aproveitou adequadamente da pujança desses últimos 11 anos no Brasil”, disse, referindo-se ao desempenho da economia nacional. Ele continuou na comparação dos governos de Minas e do país. “Ninguém dirá: o Brasil não tem um modelo de crescimento. O país tem, e é internacionalmente conhecido. Agora, Minas tem? A resposta unânime: não tem.” Já Pimenta da Veiga (PSDB) não deixou por menos e adotou um tom mais alto, utilizando um dos principais motes tucanos: o choque de gestão. “Os senhores são testemunhas do que tem sido realizado no Estado”, rebateu. Segundo Pimenta, “há 12 anos se iniciou em Minas um poderosos trabalho de transformação. Quanto ao Brasil, não posso dizer o mesmo”, afirmou também utilizando a comparação. “Todos conhecem em Minas e fora de Minas, o choque de gestão. As evidências não podem ser negadas. É tolice fazer isso. Todo o Brasil reconhece a qualidade da administração pública de Minas”, disse Pimenta, enumerando iniciativas do governo estadual. O tucano acusou o governo federal de atrapalhar o crescimento de Minas, citando o polo petroquímico que deixou de ser instalado em Minas Gerais e foi para a Bahia. Ele ainda garantiu a conclusão de todas as iniciativas iniciadas deste governo, sendo aplaudido. “Vejo as dificuldades do Brasil, mas vejo o exemplo de Minas Gerais e tenho confiança”, concluiu.

“Conexão Empresarial é projeto consolidado” Araxá. O Conexão Empresarial, evento que reuniu ontem os dois pré-candidatos ao governo do Estado, é promovido pela VB Comunicação e tem o patrocínio de O TEMPO, AngloGold, Assembleia de Minas, Clube de Permutas, Embratel, MBR e Usiminas, com Media Partnership de Band, Diário do Comércio, Rádio Itatiaia e JChebly. O diretor geral da VB Comunicação e idealizador do Conexão, Paulo César de Oliveira, disse que o evento, que está na sua quinta edição, é um projeto consolidado. Com relação ao debate ocorrido ontem entre os précandidatos, Paulo César de Oliveira ressaltou que foi no Conexão Empresarial, em Araxá, que pela primeira vez Fernando Pimentel e Pimenta da Veiga se encontraram publicamente. “É um exercício da democracia, foi muito bom porque todo mundo viu e aproveitou”, disse. Paulo César Oliveira acredita que o evento facilita o relacionamento e a troca de informações, sendo esses os seus maiores objetivos. O Conexão Empresarial, que começou com a participação de 300 empresários, conta agora com 400.

Multa Justiça. O presidente do PSDB em Minas, Marcus Pestana, foi multado pela a Justiça Eleitoral. O motivo foi a divulgação de intenções de votos de uma pesquisa inexistente. Ainda cabe recurso. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave