Reality show propõe parto na natureza e desperta polêmica

Vídeo com mais de 20 milhões de visualizações inspirou programa

iG Minas Gerais | Da redação |

Vida. Vídeo que mostra Simone em trabalho de parto teve mais de 20 milhões de visualizações no YouTube e inspirou reality show
Reprodução / YouTube
Vida. Vídeo que mostra Simone em trabalho de parto teve mais de 20 milhões de visualizações no YouTube e inspirou reality show

Um novo reality show anunciado pelo canal norte-americano Lifetime já está virando alvo de polêmica antes mesmo de ser lançado. “Born in The Wild” (Nascido na Selva, em tradução livre) terá como objetivo retratar o parto de mulheres que escolheram dar à luz ao ar livre, sem qualquer assistência médica. As informações são do jornal britânico “Daily Mail”.

Mesmo respeitando a escolha das mulheres que participam do programa, um grupo de médicos e especialistas afirmou que a série pode colocar em risco a saúde de mães e bebês, principalmente para as grávidas de primeira viagem.

Os produtores do programa garantem que estão tomando as precauções necessárias para garantir, na medida do possível, a segurança da mulher e da criança durante o nascimento. Apesar do parto acontecer na natureza, o local escolhido deve estar dentro de um limite máximo de distância de um hospital.

Origem. A ideia do programa é baseada em um vídeo publicado no ano passado no YouTube chamado “Birth in Nature: Natural Birth” (Nascimento na Natureza: Parto Natural, em português), que já alcançou mais de 20 milhões de visualizações. No registro, que tem duração de mais de 20 minutos, Simone, uma mulher que está em trabalho de parto, aparece em uma lagoa prestes a dar à luz ao quarto filho.

Ela conta apenas com a presença e o apoio de sua família. “Como e por que eu escolhi realizar meu parto na natureza tem a ver com a minha jornada interior ao longo da gravidez. Eu senti que a minha vida inteira se preparou para esse momento específico. Foi quando eu finalmente me senti completa e em paz”, conta Simone na descrição do vídeo.

Repercussão. A proposta do programa é vista com ressalvas. “Eu entendo que todo mundo quer acreditar que ‘medicalizamos’ em excesso a gravidez, e que é um processo natural. Mas é um processo natural que, historicamente, tem causado uma perda extraordinária de vidas”, opina Ron Jaekle, especialista em medicina materno-fetal do centro médico da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos.

Para ele, o reality “não faz qualquer sentido”. O especialista ainda acredita que, mesmo com os cuidados médicos modernos, dar à luz em casa – e muito menos em uma floresta – é comprovadamente mais arriscado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave