Dr. Fernando será investigado por acúmulo de salários

Prefeito vira alvo de comissão processante na Câmara

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Duplo. Dr. Fernando teria recebido salários de médico e de prefeito durante pelo menos três meses
Uarlen Valério
Duplo. Dr. Fernando teria recebido salários de médico e de prefeito durante pelo menos três meses

O prefeito de Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte, Dr. Fernando (PSB), é alvo de uma comissão processante aberta pela Câmara da cidade. Ele foi intimado nessa sexta a prestar esclarecimentos sobre o acúmulo de salários como chefe do Executivo e como médico da rede estadual de saúde durante pelo menos três meses.

Inicialmente, o fato foi alvo de uma investigação conduzida por uma comissão de vereadores. A sindicância durou 40 dias, e a Câmara decidiu abrir uma comissão processante, que pode levar à cassação do prefeito. O acúmulo de salários foi confirmado pela investigação, conduzida pela vereadora Aline da Farmácia (PMDB). “O que posso dizer é que tudo o que foi denunciado foi constatado com base em documentos”, explica.

Reportagem de O TEMPO publicada no dia 8 de maio revelou que Dr. Fernando recebeu da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) um total de R$ 39,6 mil nos meses de dezembro do ano passado, janeiro e fevereiro deste ano.

Dr. Fernando trabalhava como médico no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte – cujos salários variavam entre R$ 13 mil e R$ 15 mil, de acordo com o Portal da Transparência do governo de Minas –, e como prefeito de Lagoa Santa, recebendo R$ 25 mil (um dos maiores salários de prefeito do país).

Pela legislação, Dr. Fernando até poderia atuar como médico, mas deveria escolher se aceitaria o salário de prefeito ou o de servidor público na área da saúde.

Investigação. A partir de agora, a comissão processante deverá colher depoimentos do prefeito e de testemunhas e terá 90 dias para apresentar um relatório. Se as denúncias forem constatadas (como aconteceu durante a comissão sindicante), os vereadores podem ter que votar se Dr. Fernando permanece ou não à frente do Executivo.

Com nove parlamentares, a Câmara de Lagoa Santa está rachada. Prova disso é que a comissão processante foi aberta com maioria simples, ou seja, cinco dos nove vereadores votaram a favor da investigação.

Problemas

Greve. Os problemas envolvendo o prefeito de Lagoa Santa se estendem também para outros setores da cidade. O município enfrentou, nesta semana, greves de motoristas de ônibus e de professores.

Gestor já foi cassado no ano passado Desde que assumiu o mandato, em janeiro de 2013, o prefeito de Lagoa Santa, Dr. Fernando (PSB), pode ser condenado a perder o cargo pela segunda vez. Em agosto, ele foi cassado pela Câmara por conta de denúncias de irregularidades em dispensa de licitação para contratação de uma empresa responsável pela coleta de lixo da cidade. Na ocasião, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) concedeu mandado de segurança para que ele permanecesse no cargo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave