Tarifa Zero faz quadrilha e fecha a Nossa Senhora do Carmo

Manifestantes farão o casamento entre Ramon Victor Cesar, presidente da BHTrans, e Joel Jorge Paschoali, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO/ GUSTAVO LAMEIRA |

Manifestantes fazem quadrilha como forma de protesto
PEDRO GONTIJO/ O TEMPO
Manifestantes fazem quadrilha como forma de protesto

De forma bastante humorada, cerca de 100 integrantes do movimento Tarifa Zero protestam fazendo uma quadrilha, no início da noite desta sexta-feira (6), em plena avenida Nossa Senhora do Carmo, em frente ao Chevrolet Hall, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. A princípio o grupo fechou apenas as três faixas laterais no sentido BH Shopping, mas agora já fecham também as duas pistas centrais da avenida. Apesar disso, por ocorrer no horário de pico, o protesto já causa retenções que já atingi a avenida do Contorno e as demais vias da região. 

O Manifesta Junina, como foi chamado pelos organizadores, é um protesto festivo por transporte de qualidade e contra os aumentos das passagens municipais e intermunicipais. Conforme o evento criado no Facebook, "é tempo de incendiar catracas, pular fogueiras e levantar os ânimos pra esse mês que tem tudo pra ser quente nas ruas", diz o texto. 

Com bandeirinhas penduradas nas árvores da avenida, comes, bebes e música tradicional, a festa junina também não poderia ficar sem uma quadrilha. Como todas as quadrilhas, esta também contará com um casamento, como explica uma das integrantes do movimento, Júlia Nascimento. "Com integrantes usando máscaras, faremos o casamento entre o presidente da BHTrans,  Ramon Victor Cesar, e o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH),  Joel Jorge Paschoali", conta. 

O padre que celebrará o casamento será representado pelo prefeito Márcio Lacerda (PSB), simbolizando o apoio dado por ele à união entre a empresa que deveria primar pelos interesses da população e a indústria do transporte. Como pai do presidente do sindicato, também marcará presença o personagem do senador Clésio Andrade, ex-presidente da Confederação Nacional dos Transportes.

“A BHTrans só se preocupa com o lucro e não com a qualidade do transporte”, disse Júlia. A Polícia Militar (PM) acompanha a manifestação. A reportagem de O TEMPO já entrou em contato com a BHTrans e com o Setra-BH, que ainda não se pronunciaram sobre o protesto.

Medicina

Ao mesmo tempo, um outro protesto complica o trânsito na região hospitalar. Conforme a BHTrans, estudantes da UFMG, que mais cedo realizaram protesto na avenida Antonio Carlos, em frente ao campus, seguiram para a área hospitalar e ocupam uma faixa da avenida Alfredo Balena, na porta da Escola de Medicina.

O manifesto é contra o fechamento da universidade nos dias de jogos da Copa do Mundo e, por ocorrer no horário de pico, complica o trânsito na região. A BHTrans e a PM acompanham a manifestação.