Brasil vence, mas não convence no último teste

Com um gol de Fred, seleção brasileira bate a Sérvia, mas joga mal e encara vaias dos torcedores no Morumbi

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro |

Se o objetivo da seleção brasileira era ter um grande teste antes da estreia, ele foi alcançado. O amistoso contra a Sérvia teve muitos ingredientes de Copa do Mundo: adversário qualificado tecnicamente e bem-postado taticamente, jogadas mais duras e uma relação de pressão e apoio por parte da torcida paulista. Com tudo isso, a vitória por 1 a 0 até foi favorável, mas a atuação do time deixou muito a desejar, ligando o alerta para o duelo que realmente valerá três pontos, daqui a cinco dias.

Na simulação da partida contra a Croácia, no próximo dia 12, no Itaquerão, muitas situações de jogo e clima serão parecidas com as que foram vistas nesta sexta-feira. A Sérvia vem da mesma escola iugoslava do adversário da primeira rodada do Mundial e o perfil dos torcedores deverá ser parecido, já que existe o desejo de apoiar, mas também será natural a cobrança pela vitória.

Dentro de campo, os croatas deverão jogar com uma postura tática definida, com linhas compactas, posse de bola e saídas rápidas nos contra-ataques, assim como os sérvios fizeram com muita competência no amistoso. Esse comprometimento com a organização da equipe por parte da Sérvia dificultou muito o Brasil e irritou os torcedores que vaiaram a seleção.

Nos primeiros 45 minutos, foram os visitantes que criaram as melhores oportunidades de abrir o marcador. Kolarov aproveitou por duas vezes os espaços nas costas de Daniel Alves para finalizar com perigo, e Mitrovic cabeceou uma bola para fora quase na linha da pequena área. Por outro lado, o máximo que o Brasil conseguiu foi finalizar de longa distância. A forte marcação sérvia pelo meio em cima de Oscar e Neymar e o baixo aproveitamento ofensivo pelas laterais foram fundamentais para o desempenho ruim da linha de frente canarinho.

Na volta do intervalo, Felipão apostou na substituição que vem dando mais dinâmica à equipe nos trinos, tirando Oscar e colocando Willian. O reserva fez o meio fluir um pouco mais, porém, o que funcionou mesmo foi uma ligação direta do zagueiro Thiago Silva para Fred marcar um gol típico de centroavante. O camisa 9 comemorou com a mão na orelha pedindo para que os torcedores, que gritavam por Luís Fabiano – atacante que nem foi convocado -, passassem a chamar pelo seu nome.

A abertura do marcador deu mais tranquilidade para o time brasileiro, algumas oportunidades foram surgindo, mas o bom futebol esteve longe de aparecer. Até porque, mesmo em desvantagem, a Sérvia não mudou seu estilo de jogo, sem abrir mão da forte marcação à espera dos contragolpes. Em um deles, Kolarov cruzou, e Jojic cabeceou na trave.

Nitidamente, o Brasil passou a valorizar a posse de bola para segurar a vitória e deixar uma imagem positiva pelo menos no resultado positivo. Agora, faltando cinco dias para a estreia na Copa do Mundo, não há mais tempo para avaliações diante de adversários. A reta final de preparação terá que ser muito mais na base da conversa e de instruções de posicionamento do que com a bola rolando em simulações de jogo. Ao torcedor, resta acreditar na frase emblemática de Ronaldinho Gaúcho: “Quando está valendo, está valendo”.

Leia tudo sobre: Brasilseleção brasileiraFredSérvia