Santa Casa de BH agoniza e maternidade pode fechar em três meses

Prejuízo mensal do setor chega a R$ 1 milhão; gastos gerais da instituição giram em torno de R$ 25 milhões e recurso federal é de R$ 20 milhões

iG Minas Gerais | FERNANDA VIEGAS |

Há mais de um ano, a maternidade do Grupo Santa Casa de Belo Horizonte amarga prejuízos que chegam a R$ 1 milhão mensal, segundo o superintendente de Planejamento, Finanças e Recursos Humanos, Gonçalo de Abreu Barbosa, que garante não conseguir manter a situação por mais de três meses. “Está chegando a um patamar insustentável. A maternidade contamina os outros serviços”, reclamou.

De acordo com Barbosa, são realizados entre 300 e 350 partos mensais - uma média de mais de dez partos por dia - em sua maioria, atendimentos de risco, já que a Santa Casa é especializada nesta área, e conta com profissionais e equipamentos necessários. Para não prejudicar aos pacientes e funcionários, o grupo está em atraso com os fornecedores e tem recorrido a empréstimos bancários.

“Não podemos continuar com o prejuízo, e apresentamos para a prefeitura uma solução: a construção de uma nova maternidade. Porque é como uma casa. Se eu não consigo pagar o aluguel, eu mudo”, exemplificou.

Atualmente, a Santa Casa recebe R$ 20 milhões do Ministério da Saúde, responsável pela manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS), mas o gasto geral gira em torno de R$ 25 milhões, para arcar com as 3.500 cirurgias mensais, atendimentos a 1.085 leitos e internações no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). “Temos leitos para serem ativados, mas não podemos aumentar os gastos”.

Resposta

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) informou que a Santa Casa recebe investimentos previstos em portaria pelo programa Rede Cegonha e que está em dia com  os repasses. Além disso, o órgão esclareceu que já existe um grupo de trabalho para discussão das questões apontadas pelo hospital e que a Santa Casa conta como um apoiador da SMSA que participa de reuniões semanais na maternidade.

Uma reunião entre os representantes da Santa Casa e a SMSA está marcada para a próxima segunda-feira (9) onde o hospital deverá apresentar o detalhamento dos valores informados.

Atualmente, sete maternidades de Belo Horizonte atendem ao SUS: Hospital Odilon Behrens, Hospital Risoleta Tolentino Neves, Hospital Sofia Feldman, Santa Casa de Misericórdia, Hospital das Clinicas, Maternidade Odete Valadares e Hospital Júlia Kubitschek.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave