Nove suspeitos são presos por seis homicídios em Santa Luzia

Quatro suspeitos ainda estão foragidos; dos seis crimes, quatro ocorreram este ano no município

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Nove suspeitos de cometerem seis homicídios em Santa Luzia, inclusive um assassinato de 2011
Divulgação / Polícia Civil
Nove suspeitos de cometerem seis homicídios em Santa Luzia, inclusive um assassinato de 2011

Nove suspeitos de participação em seis homicídios cometidos em Santa Luzia, na região Metropolitana de Belo Horizonte, foram presos nesta sexta-feira (6).

Uma equipe formada por 80 policiais civis do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) participou da Operação Copa Segura, para cumprimento de mandados de prisão, além de busca e apreensão. Eles encontraram um revólver calibre 38 e duas espadas com os suspeitos. De acordo com o delegado Christiano Xavier, que coordenou as investigações, as buscas continuam, já que quatro suspeitos estão foragidos. Para ele, “com essa operação, a Polícia Civil pretende dar uma resposta e desestimular a violência local, proporcionando mais tranquilidade para a sociedade”. Crueldade A operação prendeu Rodolfo Lúcio dos Santos, 22, Paulo Henrique de Sá, 24, e Oelker Ferreira de Menezes, 19, suspeitos de matar a tiros Carlos Eduardo Pereira Barreiros, 25, no dia 24 de abril, no bairro Boa Esperança.

De acordo com investigações da Polícia Civil, o motivo do crime teria sido um comentário da vítima sobre o roubo a um hotel em Sabará no dia 18 de março. Rodolfo foi um dos responsáveis pelo roubo.

Um adolescente de 15 anos, que testemunhou a morte de Carlos Eduardo, foi assassinado no dia 28 de abril, quatro dias após prestar depoimento sobre o fato. Ele teve os olhos e a língua decepados, e uma espada foi enfiada em seu peito. Patric Junio Gomes Batista, 20, e Igor Fernandes Marques (apelidado Goi), 28, foram detidos, apontados como suspeitos da morte do jovem. O terceiro envolvido é Bruno Roberto dos Santos, também conhecido como Tuté, que está foragido.

De acordo com levantamentos da Polícia Civil, os suspeitos teriam se revoltado com a morte de Carlos Eduardo, e mataram o adolescente por suspeitarem de seu envolvimento no homicídio que testemunhou.

Ainda segundo as investigações, Bruno tinha em casa um pote com dedos humanos, o que indica que ele já pode ter matado outras pessoas. A polícia ainda não localizou o recipiente, que pode conter também as partes amputadas do adolescente.

Cumprindo mandado de busca e apreensão, a polícia encontrou duas espadas ninja na casa de amigos dos suspeitos. Testemunhas relataram à polícia que uma dessas espadas foi utilizada para matar o adolescente de 15 anos. Outros homicídios Wallisson Martins Costa (apelidado Ratinho), 21, e João Marcos Rosa Fonseca (o Zoinho), 20 seriam integrantes de uma gangue que controla o tráfico de drogas no bairro Londrina, e os dois teriam assassinado Ormano Trajano dos Santos, 31, no dia 19 de abril. Outros dois suspeitos de participar desse homicídio, Rodrigo Martins Costa (o Ratão), 27, e Leandro Henrique Silva de Aquino, 23, ainda não foram encontrados pela Polícia. Segundo investigações, Ormano teria sido ameaçado e morto pela gangue por conta de uma discussão que teve com um adolescente que trabalha para o tráfico. A vítima deixou um bilhete alertando sobre as ameaças e os possíveis autores. Já Glauber Alves Muniz (o Glaubinho) foi preso pela suspeita de ter matado Jarbas de Oliveira, 27, no dia 12 de junho de 2013, bairro Nossa Senhora das Graças. Outro suspeito de participar desse homicídio, Alberto Guimarães de Oliveira (o Betão), foi assassinado no dia 9 de novembro do ano passado.

O crime teria sido motivado por uma discussão, já que Glauber estaria se relacionando com a ex-namorada de Jarbas. Uma testemunha presencial do crime, João Carlos de Souza, de 23 anos, foi assassinada no bairro Maria Teresa, no dia 3 de janeiro.  Glauber está sendo apontado pela Polícia como principal suspeito também desse homicídio. Carlos Henrique Alves Rodrigues, 28, é suspeito de um homicídio em 2011. Ele seria o responsável pela morte de Alexandre Domiciano Gomes, 27, por uma discussão que começou em um bar, no bairro Palmital. Dois outros suspeitos de participarem do crime, Rogério Pinheiro dos Santos, 32, e Carlos Eduardo da Silva, 28, estão foragidos.

 

Com Polícia Civil

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave