Protesto de metalúrgicos interdita a Avenida Paulista

No primeiro dia de greve, o Metrô de São Paulo transportou apenas 40% dos passageiros que costumam utilizar o sistema em dias normais

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Uma protesto de metalúrgicos e funcionários da Construção Civil, com apoio da CUT e Força Sindical, reúne cerca de 3.500 pessoas na Avenida Paulista, na altura do Masp, na região central de São Paulo. O ato pretende ir até a frente do Banco Central. Os manifestantes pedem melhores salários. Segundo a Polícia Militar o clima é pacífico. O ato interdita duas faixas, no sentido Consolação, e complica ainda mais o trânsito da capital paulista congestionado em razão do segundo dia da greve dos metroviários.

Na manhã desta sexta-feira, as estações Marechal Deodoro e Vila Madalena foram abertas. A Linha 2-Verde opera de Vila Madalena a Ana Rosa e a Linha 3-Vermelha, entre Marechal Deodoro e Bresser-Mooca. Já a Linha 1-Azul opera entre as estações Ana Rosa e Luz.

No primeiro dia de greve, o Metrô de São Paulo transportou apenas 40% dos passageiros que costumam utilizar o sistema em dias normais. Segundo a Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos, na quinta-feira, 05, cerca de 1,8 milhão de usuários utilizaram a rede sobre trilhos, incluindo a Linha 4-Amarela, que não é operada pelo governo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave