Centro de Operações começa a funcionar antes da Copa

Sistema de monitoramento inicia a operação com 79 câmeras, mas número será ampliado

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Sede. A Central de Monitoramento da Prefeitura (COP) da capital vai funcionar no bairro Buritis
DENILTON DIAS / O TEMPO
Sede. A Central de Monitoramento da Prefeitura (COP) da capital vai funcionar no bairro Buritis

Com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT), o Executivo da capital mineira inaugura, no próximo domingo, dia 8 de junho, o Centro de Operações da Prefeitura de Belo Horizonte (COP). O sistema de monitoramento será usado para garantir a segurança e a fluidez do trânsito na cidade durante e depois da Copa do Mundo. Mais tarde, o sistema ainda será ampliado de forma a ser utilizado em outros monitoramentos, tais como prevenção de danos ocasionados por acidentes e da violência.

A um custo de R$ 31,6 milhões, sendo R$ 30 milhões financiados pelo governo federal por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade e R$ 1,6 milhão de recursos próprios, a prefeitura construiu um prédio na avenida Engenheiro Carlos Goulart, 900, no bairro Buritis, ao lado da sede da BHTrans para abrigar todo o mecanismos de monitoramento da capital. De acordo com a prefeitura, o Centro de Operações tem o objetivo de aprimorar o gerenciamento e a segurança do trânsito. Com o novo sistema, as ruas serão observadas por meio de câmeras de TV. A partir das imagens, será possível informar motoristas e transeuntes de eventuais problemas através dos painéis de mensagens. O funcionamento dos semáforos também poderá ser alterado em caso de algum transtorno. Apesar da especialização em observar o tráfego, o COP ainda vai abrigar uma central da Guarda Municipal, do SAMU, da SLU, da Defesa Civil e da Secretaria Municipal Adjunta de Fiscalização (SMAFIS). Alguns órgãos estaduais também deverão integrar o COP, como a Secretaria de Defesa Social. A ideia é que os principais serviços públicos também sejam monitorados. A coleta de lixo, o atendimento feito pelas ambulâncias, o policiamento, as intervenções em áreas de riscos deverão ser acompanhados. Em um primeiro momento, a central vai utilizar os aparatos que a cidade já dispõe. São 79 câmeras de videomonitoramento de trânsito distribuídas estrategicamente pela área central e pelos principais corredores como as avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Amazonas, Carlos Luiz, Pedro II, Raja Gabaglia, Contorno e Afonso Pena. A estrutura atual conta ainda com 19 painéis de mensagens espalhados. O Centro de Operações servirá como um local estratégico de tomadas de decisão rápida. Dentro desse escopo, a proposta é agilizar a solução de problemas e prevenir crises. 

Teste Prova. Um dos primeiros desafios do Centro de Operações da Prefeitura de Belo Horizonte acontecerá no dia 14 de junho, quando a cidade vai receber o jogo da Copa Colômbia x Grécia.

Exemplo Festa. No Carnaval, a Prefeitura de Belo Horizonte criou a “Sala de Situações” para testar o modelos de monitoramento do COP. Brasil. O Rio de Janeiro já conta com um sistema parecido com o que está sendo implantado em Belo Horizonte. Em janeiro deste ano, a Prefeitura de Recife também iniciou a construção de seu centro de operações. Mundo. Representantes da prefeitura da capital mineira visitaram cidades de países desenvolvidos que utilizam complexas redes de vigilância. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave