Agora é oficial, Confins não terá o ‘puxadinho’ na Copa

Terminal remoto iria ampliar capacidade do aeroporto

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

Canteiro. Assim como outras obras de Confins, o ‘puxadinho’ também não ficou pronto a tempo
douglas magno
Canteiro. Assim como outras obras de Confins, o ‘puxadinho’ também não ficou pronto a tempo

Não vai ter ‘puxadinho’ em Confins na Copa. O Terminal 3, que está sendo construído para ampliar a capacidade anual do aeroporto em 5,3 milhões de passageiros, deveria ter ficado pronto em abril de 2014, depois o prazo foi adiado para maio e, agora, a promessa é para o mês que vem. “Problemas na estrutura provocaram o atraso”, confirmou o superintendente regional da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Silvério Gonçalves.  

Segundo ele, a falta do puxadinho não vai interferir nas operações. “Esse terminal não estava previsto para a Copa”, explica. Mas em junho de 2013, quando a Infraero fez a licitação, vencida pela Urb Topo, a previsão era entregar a tempo do Mundial. Ele chegou a ser considerado como uma possibilidade de ser exclusivo para receber as delegações de futebol, que será feito no aeroporto da Pampulha.

No dia 6 de maio, durante uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais sobre o atraso nas obras de Confins, os representantes da Infraero anunciaram que o puxadinho seria usado durante a Copa para voos executivos internacionais. “Vamos usar a área como um corredor de passagem para os passageiros da aviação executiva”, explicou Silvério.

A Infraero e a Urb Topo não passaram detalhes sobre os problemas estruturais que atrasaram a obra. O fato é que ela ficou cerca de 20% mais cara, com um acréscimo de R$ 4,5 milhões. Na época da licitação, há um ano, a construtora arrematou a obra por R$ 22,32 milhões, depois de três tentativas frustradas da Infraero.

A própria Urb Topo apresentou uma proposta R$ 27,8 milhões, mas teve que cortar R$ 5,47 milhões para ganhar a disputa. O baixo preço que a estatal estava disposta a pagar, atrasou o início da construção do puxadinho. Foram duas licitações fracassadas e uma sem nenhum interessado, até a Urb Topo vencer

KLM em BH

Conversa. A companhia holandesa está de olho em Confins. Representantes estiveram no aeroporto nessa quinta e conversaram com o governo. Operar destinos para a Europa é uma possibilidade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave