Os sertões australianos do Outback

iG Minas Gerais |

acir galvao
undefined

Vi que a primeira seleção de futebol a chegar para a Copa do Mundo foi a australiana. Em homenagem a ela, resolvi conferir a nova unidade do Outback na Capital, instalada recentemente no BH Shopping. Na porta do estabelecimento há uma curiosa e incomum referência à proprietária e na recepção esclareci que são donos diferentes, ali e no Pátio Savassi, onde já estive em algumas ocasiões, tendo, inclusive, feito artigo a respeito. Legal isso de se apresentar o nome do dono. Mais fácil para elogios, críticas, reclamações. Bem próprio da cultura de responsabilização (accountability) inerente ao mundo anglo-saxão. Tenho uma prima, Renata, companheirinha de infância, que vive na Austrália há décadas. Ainda não tive oportunidade de visitá-la, embora admita que deve ser um país fascinante. Sertanejo, como sugere o seu outback, suas profundezas aborígenes, vastidões desérticas e ensolaradas. Curto esse tipo de paisagem, que aliás decora as paredes do restaurante. Como é natural, em se tratando de franquia, há um padrão a ser observado, da decoração ao cardápio, passando pela disposição das mesas, que também lembra os saloons norte-americanos. A simplicidade e o conforto fazem parte da existência de países como EUA, Austrália, o Triângulo Mineiro e o interior de São Paulo, lá pelas bandas de Barretos, Rio Preto ou Ribeirão. O gosto pela carne e o churrasco idem, assim como pelas porções generosas, a preços justos. Não me lembro se no Pátio há tanta gente para te recepcionar, conduzir à mesa e esclarecer que é o fulano o responsável pelo seu setor, mas acho que deve ser a mesma coisa. O estranho é que depois, na hora de trazer isso ou aquilo, quase sempre varia o garçom. Mas o que importa é que são corteses e eficientes. Visitei o Outback sozinho e depois com a Gigi. Da primeira vez, apreciei a cebola frita, memorável, ainda que calórica ao extremo, na companhia do molhinho, que a gente sempre pede bis. Ainda conferi os aneis de lula, igualmente crocantes e bem temperados. Da segunda vez, o almoço foi mais saudável. Tanto a salada Caesar quanto a Ranchito são deliciosas, do tipo que convencem adolescente a comer verdura! O prato da Gigi foi a tilápia com camarões, acompanhada de purê rústico de batata. Delicioso. Meu contra-filé (sirloin) bem que podia ter uma gordurinha... mas estava vermelho e úmido por dentro, bem macio, suculento, alto e condimentado de forma adequada. O arroz da tasmânia é no máximo razoável, os legumes al dente, gostosos. O preço na faixa de R$130 para o casal me pareceu justo. Um bom lugar para conciliar com o cinema ou as compras, fugindo-se da muvuca inevitável das praças de alimentação. Outback BH Shopping, rodovia BR-356, 3.049, Belvedere, 3286-6782.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave