Camex ainda pode avaliar redução da TEC na importação de trigo

Abitrigo defende a isenção de 10%, sobre as compras do cereal

iG Minas Gerais | Da redação |

A Camex decidiu que irá avaliar a possibilidade de reduzir a alíquota para uma quota específica e por prazo limitado, tendo em vista os efeitos da sazonalidade da safra
STOCKXPERT/ARQUIVO
A Camex decidiu que irá avaliar a possibilidade de reduzir a alíquota para uma quota específica e por prazo limitado, tendo em vista os efeitos da sazonalidade da safra

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou em nota que o Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) ainda avalia a possibilidade de reduzir ou não o imposto sobre a importação de trigo de países que não integram o Mercosul.

Pouca coisa prática foi definida na última reunião, realizada em maio. A Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) defendia a isenção da Tarifa Externa Comum (TEC), de 10%, sobre as compras do cereal realizadas até julho em um volume de até 2,5 milhões de toneladas. A Camex decidiu que irá avaliar a possibilidade de reduzir a alíquota "para uma quota específica e por prazo limitado, tendo em vista os efeitos da sazonalidade da safra".

Segundo o comunicado do MDIC, a avaliação considerará, entre outros fatores, a variação da oferta, a qualidade do produto ofertado e o seu preço no mercado interno nos próximos dias. Para traders e compradores de trigo vinculados à indústria, o pedido de redução do imposto ou mesmo isenção total não se aplica mais porque os preços da matéria-prima da farinha estão caindo no mercado internacional e a Argentina, tradicional fornecedora do grão para o Brasil (sem TEC), voltou a exportar – ainda que em volume limitado – para o Brasil. Uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros da Camex poderá ser realizada para discutir o assunto. 

Leia tudo sobre: importaçãotrigoCamex