Suspeita de fraudar Bolsa Família deve ser ouvida na próxima segunda

Ilza de Santana trabalhava como Conselheira Tutelar e teria sacado cerca de R$ 3.000 depositados em uma conta do programa usando o cartão de outra pessoa

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

A conselheira tutelar suspeita de fraudar o Bolsa Família em Itapeva, no Sul do Estado, deve ser ouvida na próxima segunda-feira, dia 9 de junho. De acordo com o delegado Samuel Covalero Sanches Domingues, responsável pelo caso, o advogado da conselheira entrou em contato com ele nesta quinta-feira (5) e informou que a suspeita deve se apresentar na Delegacia de Itapeva.

Ilza Batista de Santana, de 52 anos, é suspeita de sacar o dinheiro do Bolsa Família usando o cartão de uma mulher que teve os filhos entregues ao Conselho Tutelar em março do ano passado. Segundo o delegado, ela teria pedido o cartão e a senha da vítima quando as crianças foram levadas, dizendo que o valor depositado seria usado no custeio das despesas dos irmãos. No entanto, o dinheiro foi retirado por 11 meses, totalizando R$ 3.872, e nunca foi destinado a este fim.

Ainda de acordo com o delegado responsável pelo caso, a vítima foi intimada para depor também na segunda-feira (9) e o inquérito deve ser concluído em até 30 dias. Se as investigações comprovarem a denúncia, Ilza será indiciada pelo crime de furto, que tem pena de 1 a 4 anos de prisão. Segundo Samuel Domingues, a suspeita deve responder em liberdade.

A reportagem de O TEMPO tentou contato com o Conselho Tutelar de Itapeva, mas devido ao horário, ninguém atendeu às ligações.  

Leia tudo sobre: itapevafraudebolsa famíliaconselheira tutelar