Grupo que roubou e incendiou ônibus em Nova Lima é preso

Eles cometeram o crime no mesmo dia que um dos líderes do tráfico de drogas na cidade foi preso; todos os suspeitos já eram investigados por tráfico

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Os sete suspeitos de roubar e incendiar um ônibus em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, foram apresentados pela Polícia Civil nesta quinta-feira (5). Eles fazem parte do total de 608 presos durante a operação “Legalidade III”, a maior já realizada em Minas Gerais.

De acordo com a delegada Karina Resende Oliveira, o crime aconteceu no dia 7 de março, quando o grupo deu sinal ao ônibus responsável pelo trajeto Nova Lima - Belo Horizonte, no momento em que o veículo passava pelo bairro Alto Bugalho. Quando o ônibus parou, três suspeitos subiram e ameaçaram os passageiros com armas de fogo. Eles mandaram todos descerem, inclusive o cobrador e o motorista, mas roubaram o caixa pouco antes do cobrador descer, levando cerca de R$ 200,00.

Enquanto os três jogavam um galão de combustível no interior do ônibus, os outros quatro suspeitos ficaram do lado de fora, jogando gasolina também na parte externa do veículo. Após isso, eles atearam fogo.

Muitas pessoas que passavam pela região tentaram controlar as chamas usando baldes de água ou extintores de incêndio, mas os suspeitos impediram a ação atirando três vezes para o alto, para amedrontar as testemunhas.

Motivação e prisão

Todos os suspeitos já eram investigados por tráfico de drogas e o incêndio foi feito em represália, por causa da prisão de um dos líderes do tráfico em Nova Lima. Ele foi preso no mesmo dia do crime.  

O caso começou a ser investigado e, após a análise de imagens das câmeras do ônibus e de depoimentos de testemunhas, os sete foram identificados. Um deles, Ian Patrick Bispo, 18, era menor quando cometeu o crime, mas foi preso por roubo após completar a maioridade, por isso, já estava preso. Os outros suspeitos são Pablo Luan Ferreira Santos, 20, Heberte Lucas Neves Lima, 10, Wesley Alexandre Martins Paixão, 28, Diogo de Morais Brito, 26, Guilherme Henrique Silva, 26, e Emerson Junio de Oliveira, 27.

Eles foram presos quando estavam em casa, mediante mandados de busca e apreensão durante a operação "Legalidade III". 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave