Bebês com três pais poderão existir daqui a dois anos

O objetivo é prevenir doenças fatais causadas por danos às mitocôndrias, células passadas da mãe para o bebê e que fornecem energia para o organismo; um em cada 6,5 mil bebês nasce com graves problemas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Criança completou seis meses em março e o Estado só fornece o medicamento a partir de abril para crianças com menos de seis meses
Reprodução do facebook
Criança completou seis meses em março e o Estado só fornece o medicamento a partir de abril para crianças com menos de seis meses

Uma técnica que consiste na utilização de material genético de duas mães e um pai está sendo desenvolvida por cientistas britânicos. Segundo eles, em mais dois anos será possível que um bebê tenha três pais. O objetivo é prevenir doenças fatais causadas por danos às mitocôndrias, células passadas da mãe para o bebê e que fornecem energia para o organismo.

Segundo os pesquisadores, um em cada 6,5 mil bebês nasce com graves problemas mitocondriais. Com a falta de energia, eles nascem com musculatura fraca, cegueira e problemas cardíacos, o que pode levar ao óbito.

Para tornar esta prática legal, autoridades britânicas já estariam estudando mudanças nas lei, a fim de regulamentar as técnicas de fertilização. Novos testes vão ser feitos.

A HFEA, Autoridade em Embriologia e Fertilização Humana, no Reino Unido, aponta que a direção dos estudos é segura, mas requisitou testes finais antes que as duas técnicas em pesquisa sejam colocadas em prática.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave