Goleiro da Croácia diz não temer ataque brasileiro

Stipe Pletikosa tem partida de 2006 como principal motivação para a confiança antes da estreia no Mundial

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

undefined

O experiente goleiro da seleção da Croácia, Stipe Pletikosa, mostrou não estar muito preocupado com a partida de abertura da Copa do Mundo, contra o Brasil. Além de dizer que não teme o ataque composto por Neymar, Fred e Hulk, ele aposta na pressão da torcida sobre a seleção brasileira - e em uma marcação forte - para surpreender os donos da casa, no dia 12, no Itaquerão, em São Paulo.

"Depois de enfrentar o Brasil de Ronaldo, Ronaldinho, Adriano e Kaká, na Copa de 2006 [partida vencida pelo Brasil, por 1 a 0], não sinto mais medo", contou o goleiro de 35 anos. "É um desafio jogar contra jogadores da qualidade de Neymar e Hulk, claro, mas isso faz com que demos nosso melhor também."

Pletikosa contou que os jogadores já foram informados, pelo técnico Niko Kovac, sobre como neutralizar o ataque brasileiro. "Sabemos que o Brasil pressiona no começo, tenta resolver a partida rapidamente, por isso estamos preparando uma defesa em bloco, em três linhas, para tentar segurar no início", disse.

"A pressão está sobre eles e podemos surpreender. Tenho um bom sentimento sobre essa partida, porque é o jogo de uma vida, com metade da população do planeta assistindo. Isso naturalmente faz com que você jogue melhor - e sem a pressão que existe sobre os brasileiros", declarou.

A opinião do goleiro é compartilhada pelo zagueiro Dejan Lovren, do time inglês Southampton, que também destaca a dificuldade que será enfrentada nas outras partidas da Croácia na primeira fase do Mundial, contra México e Camarões. "É um grupo difícil, acho que vamos lutar pela segunda posição, mas podemos surpreender", avalia. "A estreia vai ser uma partida dura, mas acredito que vamos fazer um bom jogo. Estamos confiantes, temos um bom time e não temos a pressão que o Brasil sofre."

Além disso, Lovren ressalta a importância de ter dois jogadores brasileiros naturalizados croatas, Eduardo da Silva e Sammir, para a partida. "Eles passaram boas informações sobre a seleção brasileira para o grupo", disse. "É bom que eles estejam do nosso lado, não contra a gente."

Os jogadores croatas fazem no fim da tarde desta quinta o último treino antes do amistoso de sexta-feira, às 20 horas, contra a Austrália, no Estádio de Pituaçu, em Salvador. Será a única partida do grupo comandado por Kovac no Brasil antes da estreia contra a seleção brasileira na Copa do Mundo.