Com banana para o governo, morador volta a protestar na Granja Comary

Motorista desempregado perdeu 20 parentes no desastre da região Serrana do Rio, em 2011

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

Motorista Flávio não quer que a tragédia da região Serrana caia no descaso
douglas magno
Motorista Flávio não quer que a tragédia da região Serrana caia no descaso

Teresópolis (RJ). Depois de protestar, pela primeira vez, no segundo dia de treinos na Granja Comary, dia 27, o motorista desempregado Flávio Antônio Carreiro, 35, voltou à porta do centro de treinamento nesta quinta-feira para reforçar sua revolta quanto às vítimas da tragédia da região Serrana do Rio, em janeiro de 2011.

Ele voltou a vestir a camisa da seleção brasileira e a se sujar de barro. Desta vez, ele se pintou de com manchas de sangue e trouxe bananas. “Essa banana é para o governo. Nenhuma das 2.600 moradias para 2.600 foram entregues. As 250 que vão ser entregues não tem viaduto nem passarela por perto”, ressalta.

A tragédia, que atingiu cidades como Teresópolis, Petrópolis e Nova Fiburgo, matou 191 pessoas e há oficialmente 191 pessoas desaparecidas, provavelmente soterrada. Flávio perdeu 20 parentes no desastre.

“No dia 12 de junho, na abertura da Copa, vai se completar três anos e cinco meses da tragédia. Quando morre um jogador, sempre há um minuto de silêncio. Deveria ter agora também”, cobra o morador, que diz que vai continuar com os protestos até a seleção deixar a cidade.