Spurs reencontra Heat por 'vingança' de vice em 2013

Time do brasileiro Tiago Splitter, teve a melhor campanha da temporada regular, com 62 vitórias em 82 jogos e clube da Flória aposta em talento de Lebron James

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Manu Ginóbili foi o grande nome da vitória do San Antonio Spurs diante do Miami Heat
DIVULGAÇÃO/NBA
Manu Ginóbili foi o grande nome da vitória do San Antonio Spurs diante do Miami Heat

O San Antonio Spurs esteve a 5,2 segundos de conquistar seu quinto título da NBA na temporada passada. Vencendo a série melhor de sete da decisão contra o Miami Heat por 3 a 2, o time texano estava três pontos à frente no jogo 6 quando Ray Allen acertou o arremesso de longe, que garantiu a prorrogação. O Heat então, virou a partida e o confronto, terminando o campeonato como campeão. Agora, o Spurs terá a oportunidade de se vingar.

San Antonio Spurs e Miami Heat voltam a se enfrentar na decisão da liga norte-americana de basquete, agora pela temporada 2013/2014, sendo que a abertura da série melhor de sete acontecerá na noite desta quinta-feira. Por ter conseguido melhor campanha na temporada regular, o time texano sediará o jogo 1 e tem a vantagem de fazer quatro duelos em seu ginásio se o confronto for até a sétima partida.

As equipes se consolidaram neste campeonato como as duas principais da NBA na atualidade. O Spurs, do brasileiro Tiago Splitter, teve a melhor campanha da temporada regular, com 62 vitórias em 82 jogos na Conferência Oeste. Já o Miami Heat ficou atrás do Indiana Pacers no Leste, com 54 vitórias, mas demonstrou falta de motivação em boa parte das partidas, aparentemente se poupando para os playoffs.

O time da Flórida, aliás, é o atual bicampeão da NBA e ostenta uma hegemonia desde que Chris Bosh e, principalmente, LeBron James se juntaram a Dwyane Wade. Foram 15 séries de playoffs com o trio de astros, a partir de 2011, com apenas uma derrota até o momento, na decisão da temporada 2010/2011, para o Dallas Mavericks.

LeBron, Bosh e Wade contam com o jogo físico e a velocidade na transição da defesa para o ataque para levar o Heat à vitória. O trio ainda terá o apoio do experiente Ray Allen, especialista nas bolas de três pontos, além de Chris Andersen, que tem se firmado como peça importante no elenco.

Se o Heat conta com uma base estabelecida a partir de 2011, a "espinha dorsal" do Spurs vem desde o início dos anos 2000. Os experientes Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginóbili têm calado, ano após ano, aqueles que apostam em uma queda do time por conta da idade avançada. Muito, é verdade, em função do trabalho do técnico Gregg Popovich.

O treinador soube reinventar o Spurs, saindo de um estilo mais lento para também aprender a utilizar a velocidade. A equipe ainda aposta nas infiltrações de Ginóbili e Parker, que resultam em pontos ou na abertura de espaço para tiros de três pontos, com Danny Green, Kawhi Leonard ou Marco Belinelli. No garrafão, Duncan, mesmo aos 38 anos, segue como um dos jogadores mais eficientes da NBA.

O Spurs chega à decisão após bater o Oklahoma City Thunder na decisão do Oeste com certa facilidade, por 4 a 2. A equipe já havia atropelado o Portland Trail Blazers na semifinal de conferência, por 4 a 1, tendo dificuldade apenas na primeira rodada, contra o Dallas Mavericks - vitória por 4 a 3. Já o Heat teve séries tranquilas e passou sem grande trabalho por Charlotte Bobcats (4 a 0) e Brooklyn Nets (4 a 2) até chegar à final do Leste, na qual bateu o Indiana Pacers (4 a 2).  

Leia tudo sobre: spursheatfinaldecisãonbatiago splitterlebron