Coronel garante estar preparado

Ricardo Machado assume policiamento especializado após saída de Antônio de Carvalho

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Coronel Machado comandará batalhão que vai atuar na Copa
Divulgação / Polícia Militar
Coronel Machado comandará batalhão que vai atuar na Copa

A oito dias da Copa do Mundo, o Comando de Policiamento Especializado (CPE) da Polícia Militar (PM) de Minas Gerais tem novo chefe. O coronel Ricardo Garcia Machado, 48, garante estar tranquilo e preparado para atuar durante o Mundial, inclusive nas manifestações. Segundo ele, não haverá mudança de planejamento. A troca de comando do CPE, responsável por liderar o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), a Tropa de Choque, entre outros batalhões especializados, foi anunciada na manhã de ontem, após o pedido de aposentadoria do antigo comandante, o coronel Antônio de Carvalho. A solicitação pegou de surpresa inclusive o comando geral da corporação.

Para o novo comandante, o último trabalho como assessor militar do secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, possibilitou-lhe participar de todo o processo de preparação estratégica para a Copa. “Na assessoria, eu acompanhei todos os planejamentos e reuniões que o secretário esteve presente”, afirmou. Segundo ele, as análises de riscos foram feitas, e a polícia está preparada para todos os cenários possíveis. “A postura de diálogo prevalece na Polícia Militar. A força será usada de acordo com a necessidade”, informou.

Em coletiva de imprensa ontem, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Márcio Martins Sant’Ana, garantiu que a troca repentina, às vésperas da Copa, não trará prejuízos ao planejamento operacional da corporação. “A decisão (da aposentadoria) me pegou de surpresa. Tenho o coronel Carvalho como um grande profissional, talhado para o exercício daquela função, mas não é nada que venha alterar nossas estratégias. A PM está afiada para enfrentar essa grande empreitada, e certamente teremos êxito nos serviços prestados”.

O comandante geral também negou rumores de que o coronel Carvalho tenha pedido a aposentadoria devido a desentendimentos com o governo. “Ele não verbalizou nenhum descontentamento com a política do comando e já trouxe a decisão pronta. Desconheço qualquer insatisfação ou motivação a não ser o direito de se transferir para a reserva”. A reportagem tentou contato com o coronel Carvalho, mas ele não foi encontrado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave