“Nada trará minha filha de volta”

iG Minas Gerais |

Marco Aurélio de Oliveira, 51, é pai de Mariana, que morreu aos 8 anos em um clube no bairro Jaraguá ao ter o cabelo sugado pelo ralo. “Nada trará minha filha de volta, mas pelo menos a gente sabe que outras vidas serão poupadas. Mas a gente esperava que fosse preciso uma lei para determinar isso, pois os clubes têm pessoas contratadas para garantir que uma armadilha na água não fosse instalada onde haveria crianças nadando”, lamentou.

Mariana morreu no dia 4 de janeiro deste ano, um dia após ter o cabelo preso pela bomba do clube. Em abril, um laudo da Polícia Civil constatou que houve um erro de engenharia na instalação da bomba de sucção da piscina do clube. “Se essa lei tivesse sido feita em 1998, quando a filha da Odele Souza, de São Paulo, se afogou, muitas vidas teriam sido poupadas. Mas foram necessários mais de 16 anos e incontáveis mortes em todo o país para tomarem essa providência”, disse Oliveira. (J.V.C.)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave