Abuso de preços pode fazer caravana chilena evitar BH

Belotur oferece o Mega Space, mas preço é oito vezes maior do que em Cuiabá e no Rio de Janeiro

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

Torcida. Valdivia, xará do craque chileno, organizou uma caravana com 20 motorhomes, eles reservaram R$ 50 por pessoa para pagar estacionamento dos veículos
Arquivo pessoal
Torcida. Valdivia, xará do craque chileno, organizou uma caravana com 20 motorhomes, eles reservaram R$ 50 por pessoa para pagar estacionamento dos veículos

Os chilenos que pretendem fazer um bandeiraço para a seleção La Roja no dia 15 de junho já têm onde estacionar seus 800 motorhomes: no Mega Space, em Santa Luzia. Se o problema do local está resolvido, o do custo não. A diária será de R$ 120 por pessoa, oito vezes mais cara que a média das outras paradas. Em Cuiabá, São Paulo e Rio de Janeiro, o comboio pagará cerca de R$ 15 por pessoa. Nas paradas na Argentina e no Mato Grosso do Sul, o acampamento será de graça.

O alto custo pode fazer os chilenos desistirem da capital mineira e seguirem direto para o Rio de Janeiro. “Belo Horizonte tem sido muito mais difícil do que as outras cidades, não sei por quê. As chances são de fazermos acampamento em algum lugar na estrada, pois os valores de camping são os mais caros no Brasil”, afirma o chefe de operações da Caravana Santiago Brasil, Alberto Schmidt.

A caravana sairá de Santiago, no Chile, no próximo sábado. Ao todo, serão 3.200 chilenos, que vão percorrer 10 mil km, em 26 dias. O comboio terá paradas em Posadas e Nogoya, na Argentina, e em Dourados (MS). Chegará no dia 11 de junho em Cuiabá, onde a seleção do Chile enfrenta a Austrália, no dia 13. De lá, os chilenos seguirão para o Rio de Janeiro, para o jogo do dia 18, contra a Espanha. Antes, vão parar em Itumbiara, em Goiás, e pretendiam dormir em Belo Horizonte no dia 15 de junho, para festejar com a seleção, que ficará sediada na Toca da Raposa II, na Pampulha.

Além desse comboio, que já está sendo considerado como a maior caravana do mundo, outros grupos do Chile também virão. O xará do craque da seleção chilena, Jorge Barrera Valdivia, 23, está organizando uma caravana de 120 pessoas, com 20 motorhomes. Em Belo Horizonte, eles só virão se o Chile for classificado para as oitavas de final, jogo que acontecerá no Mineirão.

“Vamos pagar diária entre R$ 20 e R$ 30 por pessoa, nas cidades onde ficaremos no Brasil. Mas reservamos a R$ 50 (em Belo Horizonte). Cobrar mais do que isso por um camping é querer aproveitar da Copa do Mundo. O motorhome já tem tudo, só precisamos de um lugar seguro para estacionar”, afirma.

Gasolina. Ao contrário do preço das diárias do acampamento, a gasolina no Brasil não é uma preocupação para os chilenos. Em BH, por exemplo, o litro custa em média R$ 2,87. “Mas no Chile é mais caro, custa R$ 3,50”, conta Valdivia. A Caravana Santiago Brasil calcula gasto de R$ 3.300 por carro.

Ameaça

Uma nevasca está ameaçando a caravana dos chilenos. A passagem em Los Libertadores, fronteira do Chile com a Argentina, está interditada.

Novos planos

A previsão da Caravana Santiago Brasil é sair do Chile neste sábado. Mas, com o mau tempo, é possível que eles tenham que modificar a rota.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave