A voz Celeste

iG Minas Gerais |

Com a parada do Brasileirão, os torcedores começam a viver o clima de Copa do Mundo. Andava na rua e não sentia aquele calor humano com a equipe brasileira, mas isso mudou depois do amistoso da seleção, quando os meninos do Brasil, comandados por Neymar, venceram o Panamá por 4 a 0. As perguntas que ouvia – que eram todas direcionadas ao maior de Minas – começaram a mudar. Agora escuto: “Serginho, o Brasil vai ser campeão?”. Eu nunca vivi uma Copa em nosso país, e poucas pessoas com quem convivo passaram pela experiência. Mas aquelas que contam a história falam que é uma emoção única na vida. E, sinceramente, quero ter esse sentimento, quero ver o Brasil ser campeão mundial. Vamos torcer pelo hexa. No domingo estarei em Oliveira, terra perto da minha Itapecerica, em um jogo festivo às 15h, no campo do Social.

Avacoelhada

O Coelhão desperdiçou outra grande oportunidade de conquistar mais três pontos, ao ser derrotado pela Portuguesa por 2 a 1. No primeiro tempo, o time americano cedeu espaços e foi dominado pelo adversário. Matheus e os erros de finalizações dos jogadores da Lusa evitaram a ampliação do resultado negativo. Caion levou ampla vantagem na disputa com Renato Santos, Vitor Hugo e Leandro Guerreiro. Apesar de a postura do América ter sido ofensiva na etapa complementar, mesmo assim, foi insuficiente para inverter o placar. Destaque para a mobilidade do Pablo, Andrei e Willians. Pelo lado negativo, além da falta de atitude vencedora nos primeiros 45 minutos, os laterais foram pouco ofensivos, e Júnior Negão, sem os cruzamentos da linha de fundo, manteve a improdutividade. Nesse esquema, deveria ter jogado sem o centroavante referência.

A voz da Massa

Saudações alvinegras! A parceria entre Galo e Ronaldinho Gaúcho completa dois anos. Uma união comprovadamente bem-sucedida e com resultado bastante positivo para os dois lados. Ronaldinho veio para o Galo num momento difícil e turbulento de sua carreira, quando o nosso presidente Kalil, numa jogada de mestre, lhe abriu as portas do clube, sendo imediatamente apoiado pela Massa, que recebeu R10 com toda confiança e otimismo. Em resposta, ele logo se adaptou totalmente ao espírito do clube e voltou a desfilar em campo toda sua arte e magia com a bola nos pés. O resultado está aí: entre outros feitos, a inédita conquista da Libertadores 2013, com R10 entre os protagonistas, passando para o rol dos maiores jogadores da história do Galo. Que essa parceria possa continuar dando bons frutos para a alegria de todo atleticano. Dá-lhe, R10!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave