Início da colheita pressiona cotações do trigo no Brasil

Mercado brasileiro de trigo encerrou o mês de maio com preços em baixa e com reduzido volume de negócios

iG Minas Gerais | Da redação |

 O início da colheita de Trigo fez com que os preços fechassem o mês de maio em baixa
Divulgação
O início da colheita de Trigo fez com que os preços fechassem o mês de maio em baixa
O último mês de maio se encerrou com o mercado brasileiro de trigo com preços em baixa e volume reduzido de négocios. No Rio Grande do Sul, por exemplo, a média de preços no FOB ficou em R$ 640 a tonelada, o que corresponde a uma retração de 7,9% em relação ao fechamento do mês anterior. No Paraná a queda foi de 2,34%, finalizando com uma média de R$ 833 a tonelada.    “A manutenção da Tarifa Externa Comum (TEC) de 10% sobre a aquisição de trigo extra-Mercosul não foi suficiente para estancar o movimento de baixa verificado no Brasil em plena entressafra”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Elcio Bento.    Segundo ele, isso ocorre devido à proximidade da colheita de uma safra recorde no Brasil e à forte queda (11,3%) apresentada no mercado internacional. A melhora nas condições climáticas nos Estados Unidos, com o retorno das chuvas, e a perspectiva de ampla oferta mundial pressionaram as cotações futuras no exterior em maio.    A produção Brasileira é estimada em 8,115 milhões de toneladas, contra 5,6 milhões de toneladas do ciclo anterior. “Na temporada anterior, as dificuldades climáticas fizeram com os primeiros lotes de boa qualidade chegassem ao mercado apenas na segunda quinzena de outubro. Na atual, se o clima seguir favorável, em meados de agosto o mercado já contará com trigo novo”, comenta.    O analista acredita que a movimentação vai melhorar no decorrer de junho. “As aquisições serão pontuais e os produtores com necessidades de venda imediata para investir nas lavouras da safra nova precisaram flexibilizar suas pedidas”, completa.   USDA O relatório de oferta e demanda mundial de maio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) trouxe os primeiros números para a safra 2014/15 de trigo. A safra mundial 2014/15 está estimada em 697,04 milhões de toneladas, abaixo das 714 milhões de toneladas estimadas para a temporada anterior.   Os estoques finais mundiais de trigo em 2014/15 estão estimados em 187,42 milhões de toneladas, contra 175,33 milhões de toneladas. O consumo global está estimado em 696,15 milhões de toneladas, contra 679,23 milhões de toneladas.   Para 2014/15, a produção de trigo no Brasil está projetada em 6,0 milhões de toneladas, contra 5,3 milhões de toneladas. As importações estão apontadas em 6,5 milhões de toneladas, e estoques finais em 2,5 milhões de toneladas. A safra 2014/15 do cereal na Argentina foi projetada em 12,50 milhões de toneladas. A estimativa das exportações do país é de 6,5 milhões de toneladas.   No Canadá, a projeção da safra 2014/15 é de 28,5 milhões de toneladas. A projeção da safra australiana do cereal é de 25,5 milhões de toneladas. Na União Europeia, a safra 2014/15 está projetada em 144,88 milhões de toneladas.   A China tem projeção de safra 2014/15 em 123 milhões de toneladas. Os estoques finais do país foram estimados em 62,18 milhões de toneladas. A produção total do bloco de países anteriormente pertencente à União Soviética (entre eles Rússia, Cazaquistão e Ucrânia) deve ficar em 101,2 milhões de toneladas. Os Estados Unidos deverão colher 53,43 milhões de toneladas em 2014/15. As exportações do país estão projetadas em 25,86 milhões de toneladas.  

Leia tudo sobre: trigomercado