Brasil mantém status de risco insignificante para EEB

O país detém o reconhecimento desde 2012, apesar de ter registrado um caso no Mato Grosso

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Doença afeta o gado bovino e é conhecida como vaca louca
Divulgação
Doença afeta o gado bovino e é conhecida como vaca louca
O status de risco insignificante para a Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), doença neurodegenerativa que afeta o gado bovino e que é vulgarmente conhecida como doença da vaca louca, foi mantido no Brasil, informou o comitê científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), no último mês de maio.

O país detém o reconhecimento desde 2012, apesar de ter registrado um caso. "Mesmo após o caso atípico da doença registrado no Mato Grosso as autoridades internacionais reconheceram o trabalho sanitário robusto desenvolvido no Brasil. Hoje foi reiterado que a situação ocorrida não representa risco à saúde pública”, disse o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller.

Ainda segundo o ministro, a manutenção do status só foi possível graças ao trabalho desenvolvido por fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e dos órgãos estaduais de defesa agropecuária.

O Brasil também obteve o certificado de país livre da peste dos pequenos ruminantes (como ovinos e caprinos), doença que causa febre e diarreia. De acordo com o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Guilherme Marques, nunca houve o registro da enfermidade no país.

COM INFORMAÇÕES DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

Leia tudo sobre: EEBstatusBrasilpestebovina