Uso de avermectina é proibido pelo Ministério da Agricultura

Medida desagradou pecuaristas, mas é válida até a conclusão de estudos científicos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Avermectinas são produtos de uso veterinário que combatem parasitas
Divulgação
Avermectinas são produtos de uso veterinário que combatem parasitas

A fabricação, manipulação, fracionamento, comercialização e importação de avermectinas de longa ação foi proibida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), no último mês de maio.

Segundo posicionamento do MAPA, a medida foi tomada pois lotes de carnes bovinas estavam sendo recusados em outros países devido à resíduos desse remédio nas carnes. 

Os avermectinas, de acordo com especialistas, são utilizados para combater parasitas internos e externos, como vermes e carrapatos. Após o uso dele é preciso um tempo de carência para que as carnes e leites dos animais sejam disponibilizados para consumo.

O produto veterinário tem atividade antiparasitária com um período de tempo maior que os convencionais, ou seja, acima de 42 dias.  

De acordo com decisão do MAPA, ficam suspensos os registros concedidos aos produtos acabados até que estudos científicos sejam concluídos. As pesquisas serão conduzidas em conjunto com o Ministério, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) e Universidade de São Paulo (USP).

A medida desagradou pecuaristas.

 

 

COM INFORMAÇÕES DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

Leia tudo sobre: MAPAavermectinasproibição