Receita Federal apreende skank no aeroporto do Rio, enviada da Espanha

Droga estava em quatro caixas e dois envelopes vindos da cidade de Málaga, com destinatários e remetentes diferentes, tendo como destino várias cidades do estado de São Paulo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Fiscais da Receita Federal, no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão - Antonio Carlos Jobim, apreenderam nesta quarta-feira (4), pela manhã, seis volumes de skank (supermaconha, cultivada em laboratório, também conhecida como skunk). A droga estava em quatro caixas e dois envelopes vindos da cidade de Málaga, na Espanha, com destinatários e remetentes diferentes, tendo como destino várias cidades do estado de São Paulo. Dentre elas: Campinas, São José do Rio Preto, Santos, Sumaré e a própria capital paulista.

De acordo com o inspetor-chefe da Seção de Remessas Postais da Alfândega no aeroporto, Cláudio Ribeiro, não é comum a apreensão de skank no Rio. As drogas mais comuns, no setor dos Correios,segundo ele, são sintéticas, como comprimidos de ecstasy e cocaína. No ano passado, os scanners detectaram 50 mil comprimidos de ecstasy, vindos da Europa, e 45 quilos de cocaína. "Essa droga skank é pouquíssimo apreendida aquí no Rio. Diariamente passam 6 mil itens pelo setor dos Correios, no aeroporto, e todos eles passam pelos detectores de raio X, o que possibilitou a apreensão da droga", disse.

A carga, avaliada em R$ 400 mil, estava oculta em caixas e envelopes, e havia sido declarada como livros, revistas, CDs e DVDs, no valor de 60 euros (R$ 200 no paralelo, hoje). Os pacotes serão encaminhados à Polícia Federal, que abrirá inquérito para levantar se os destinatários apontados para recebimento, nas cidades de São Paulo, têm envolvimento  com a droga.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave