Rússia busca reforçar laços com a Coreia do Norte

Estratégia de Putin é vista como resposta de Moscou à construção de alianças e reequilíbrio das forças militares de Washington no Pacífico

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Irritada com a resposta do Ocidente sobre a Ucrânia e ansiosa para diversificar suas opções, a Rússia está se movimentando rapidamente para reforçar laços com a Coreia do Norte em uma manobra diplomática que poderia complicar o esforço liderado pelos EUA para pressionar Pyongyang a desistir de seu programa de armas nucleares.

A estratégia proativa da Rússia na Ásia, que também envolve um aproximação com a China e foi apelidada de "Pivô de Putin", começou anos atrás, como uma resposta de Moscou à construção de alianças e reequilíbrio das forças militares de Washington no Pacífico. Mas a iniciativa ganhou um novo sentido de urgência desde a crise na Ucrânia.

"Ao fortalecer a sua relação com a Coreia do Norte, a Rússia está tentando aumentar seu poder de barganha ante os Estados Unidos e o Japão", disse Narushige Michishita, especialista em segurança de Coreia do Norte e Ásia no Instituto Nacional de Pós-Graduação em Estudos Políticos do Japão. Michishita acrescentou que, para Putin, mostrar a Washington que não vai ser intimidado pelas sanções é "um dos mais fatores importantes" para cortejar Pyongyang agora.

Moscou segue cautelosa com a possibilidade de ter uma Coreia do Norte com armas nucleares em sua fronteira. Mas, ao longo dos últimos meses, o país cortejou a Coreia do Norte com promessas de aumento dos projetos de comércio e desenvolvimento, trocas políticas importantes e uma votação na Duma sobre o cancelamento de uma dívida de US$ 10 bilhões da era soviética.

Uma visita de três dias em abril pelo vice-primeiro-ministro Yuri Trutnev, que também é o enviado presidencial para o distrito federal russo no extremo leste, marcou o "ápice de uma nova fase nas relações russas e norte-coreanas tomando forma - um tipo de renascimento, se você preferir", disse Alexander Vorontsov, especialista em Coreia do Norte na Academia de Ciências da Rússia, escreveu recentemente em seu blog 38 Norte.

"Ainda é uma questão aberta se a crise atual na Ucrânia irá resultar em mais mudanças substanciais na política russa com relação à Coreia do Norte, particularmente ao lidar com suas questões nucleares e de mísseis", disse Vorontsov. "Com o Ocidente aumentando a pressão sobre a Rússia como resultado de diferenças sobre a Ucrânia, o fato de que Moscou e Pyongyang estão sujeitas a sanções dos EUA irá objetivamente aproximá-las e fazer com que se aproximem da China." 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave