Brasil prega respeito ao Irã, mas foca em dupla vitória dentro de casa

Equipe de Bernardinho ainda não se encontrou na Liga Mundial e busca resultados positivos para começar a ter maiores chances de classificação

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Grupo brasileiro revela maior entrosamento após quatro rodadas
ALEXANDRE ARRUDA - CBV
Grupo brasileiro revela maior entrosamento após quatro rodadas

Apesar do próximo adversário ser, na teoria, o mais fraco do seu grupo na Liga Mundial, o Brasil prega respeito ao Irã, seleção que vem crescendo nos últimos anos, mostrando importante evolução.

Os dois times se enfrentam na sexta e sábado, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, pela terceira rodada da competição. Até aqui, o time de Bernardinho soma três derrotas em quatro jogos. A única vitória veio contra a Polônia. A Itália completa o grupo e foi o algoz brasileiro nos dois primeiros jogos.

Para vencer o Irã e começar a ter boas chances de classificação, a seleção precisará jogar bem contra um time perigoso, que requer atenção.

"Na última Copa dos Campeões, no ano passado, o Irã fez jogo difícil contra todas as equipes participantes, ganhou de times fortes. É uma seleção muito respeitada. Agora, no início desta Liga, fez duas boas partidas contra a Itália, mesmo perdendo de 3 sets a 0", indica o ponta Lucarelli.

O jogador mostra conhecer alguns dos pontos fortes do time asiático, assim como da necessidade do Brasil melhorar em pontos relevantes.

"Eles têm um bom poder de ataque e bom volume de jogo. Será uma partida bem difícil. Eles sabem do bom momento que estão passando e virão confiantes para a quadra. Estamos conscientes de que temos que melhorar bastante e corrigir os erros. Esta semana foi melhor, nosso entrosamento está aumentando", comenta o jogador.

O técnico Bernardinho reconhece que o momento do seu time não é dos melhores e foca em uma vitória para tentar pôr fim em aspectos que ainda geram desconforto no elenco.

"A seleção vive um momento de dificuldade. Estamos com uma série de obstáculos e é fato que não estamos consistentes. Estamos trabalhando na busca por isso. Vários jogadores importantes estiveram fora do grupo no início do trabalho e, claro, o mau resultado gera uma certa ansiedade, frustração. Mas esse é um momento que serve como oportunidade de tomar ciência quais são as nossas limitações para trabalharmos ainda mais", declara.