Aliados da Síria elogiam eleição presidencial no país

A expectativa é de que Bashar Assad se eleja no pleito realizado em meio a uma guerra civil, que, segundo ativistas, já matou mais de 160 mil pessoas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A eleição presidencial desta semana na Síria foi democrática, transparente e irá pavimentar o caminho para "estabilidade e entendimento nacional", disse uma delegação de oficiais de mais de 30 países, liderada pelo presidente da Síria, Bashar Assad, em comunicado.

A delegação, incluindo legisladores e dignatários do Irã, da Rússia e da Venezuela, percorreu locais de votação na terça-feira (3) durante a primeira eleição presidencial com mais de um candidato na Síria em mais de quatro décadas.

A expectativa é de que Assad se eleja no pleito realizado em meio a uma guerra civil, que, segundo ativistas, já matou mais de 160 mil pessoas. Os Estados Unidos e a União Europeia, que apoiam a rebelião, rejeitaram a votação.

Em nota final lida por Alaeddin Boroujerdi, chefe da Comissão de Segurança Nacional, a delegação culpou os EUA e seus aliados por "crimes cometidos" contra o povo sírio. "Essas eleições ocorreram no horário e data constitucionais de forma democrática transparente", disse o comunicado, divulgado em árabe e inglês.

A mídia estatal reportou que a votação encerrou à meia-noite de terça-feira e que autoridades eleitorais começaram o processo de verificação do número de urnas ante as listas dos eleitores registrados.

A delegação salientou ainda que, "pela primeira vez na história da Síria", as eleições foram realizadas com a "participação de opiniões e partidos políticos diferentes" e "liberdade e democracia". "Essas eleições na Síria pavimentam o caminho para um novo estágio de estabilidade e entendimento nacional" neste país depois de mais de três anos de guerra impostos por partes estrangeiras", destacou o comunicado. "Além disso, esperamos que o pleito irá pavimentar o caminho para o retorno do deslocados e refugiados sírios para suas casas e para iniciar a fase de construção deste país pelo povo sírio e seu governo.

Leia tudo sobre: SíriaEleiçõesDemocraciaBashar Assadconfrontoguerra civil