Hospital Vera Cruz vai investir R$ 100 milhões para crescer

Aos 65 anos, unidade terá mais 150 leitos, 200 vagas de estacionamento e viés imobiliário

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Liderança. Na terceira geração, Marcos Rabello assumiu a presidência executiva do Vera Cruz há um ano focando no resultado técnico
Alex de Jesus
Liderança. Na terceira geração, Marcos Rabello assumiu a presidência executiva do Vera Cruz há um ano focando no resultado técnico

Com 10 mil atendimentos, cerca de 600 cirurgias por mês, 460 médicos e 156 leitos, o Hospital Vera Cruz, em Belo Horizonte, fez 65 anos em abril e se prepara para uma expansão ao custo de R$ 100 milhões. “Eu diria que nós estamos entre os três primeiros serviços de emergência da cidade. Atendemos praticamente todas as especialidades, os pontos fortes são a cirurgia cardíaca, neurológica, a ortopedia, cirurgia geral, e outras especialidades”, enumera o presidente executivo Marcos Rabello, no cargo há um ano.  

Terceira geração no comando, Rabello conta que o hospital vive cheio e, agora, ele busca um ganho de escala, por meio do processo de expansão, que vai dobrar a capacidade com novos 150 leitos. “É um hospital que tem um ponto privilegiado, talvez o melhor para expansão hoje em Belo Horizonte é o nosso, porque temos 2.000 m² onde será esse prédio novo”. O projeto está sendo protocolado na prefeitura para obter as autorizações. O primeiro departamento que o projeto precisa passar é o do Patrimônio. “É um prédio antigo e precisa ter uma série de autorizações para mexer ”, informa.

A previsão de Rabello é conseguir a aprovação do projeto ao longo deste ano e fazer o trabalho de captação para esse investimento, que pode ser em duas ou três etapas. “Mas acredito que em 2015 já possamos ter parceiros alinhados para começar. É um investimento na ordem de R$ 100 milhões nas duas fases”, conta.

A primeira etapa de ampliação será focada em vagas de garagem e leitos – são em torno de 200 vagas –, já que o hospital não tem estacionamento próprio, e mais 150 leitos.

Na segunda fase, o planejamento inclui espaços que fazem parte de um projeto hospitalar, mas com um viés imobiliário, onde possam ser comercializados metros quadrados e trabalhar com condomínio. “Posso colocar clínicas específicas aqui dentro, é uma área comercial voltada para a área de saúde hospitalar. Isso ajuda muito o hospital na escala, explorar o estacionamento também é bom e alugar espaços criando outras receitas”, explica o executivo.

Com a expansão, Rabello prevê a geração de mais mil vagas, entre médicos e funcionários do hospital, que, hoje, tem mais de 700 colaboradores. “Eu espero que a primeira fase já esteja operando em 2016, é uma coisa relativamente simples, mais focada em leitos”, afirma.

Para o financiamento das obras, Rabello espera contar com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), algum outro banco parceiro e investidores. E você já está conversando com esses investidores? “Ainda não, eles querem ver o projeto aprovado (na prefeitura)”, diz Rabello, que se amparou numa lei municipal para estimular reformas de hospitais na Copa.

O Hospital Vera Cruz fatura em torno de R$ 7 milhões por mês. “O que é muito pouco pelo que a unidade produz”, afirma. Com a futura expansão, Rabello prevê até mesmo mais que dobrar o faturamento.

Executivo que já teve vários papéis no hospital fundado por Ajax Rabello, seu avô, e os médicos Antônio de Figueiredo Starling e Sylvio Miraglia, Marcos Rabello afirma que conseguiu melhorar as margens de lucro num trabalho de gestão de pessoas, qualidade, produção médica e principalmente a produção cirúrgica.

Estrutura

Vera Cruz. Com os investimentos, o espaço passará a ter 20 mil m² permitindo a realização mensal de mais de mil intervenções cirúrgicas e capacidade de atendimento de cerca de 20 mil pessoas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave