UFJF oferece tratamento gratuito contra timidez

Foco é naqueles que já sentem prejuízos como aumento da frequência cardíaca

iG Minas Gerais | joana suarez |

Ajuda. Tratamento é oferecido na universidade, por três meses, com dois terapeutas e um auxiliar
HUMBERTO NICOLINE/JORNAL PANORAMA - 10.12.2005
Ajuda. Tratamento é oferecido na universidade, por três meses, com dois terapeutas e um auxiliar

Você é tímido? A timidez atrapalha suas relações sociais? Você deixa de fazer algo por medo da reação das pessoas? O coração bate forte ao falar em público? Se suas respostas foram sim, você pode sofrer de um transtorno de ansiedade social, que atinge 3% da população. Psicólogos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), na Zona da Mata, oferecem tratamento gratuito para ajudar a lidar com a timidez. O Grupo de Tímidos, como é chamado, tem de nove a 12 pessoas que se encontram por três meses com dois terapeutas e um auxiliar.  

O trabalho teve início há dois anos, após o Núcleo de Estudos em Violência e Ansiedade Social (Nevas) da UFJF perceber a necessidade de proporcionar um tratamento para as pessoas tímidas e com fobia em ambientes públicos e sociais. Cerca de 20 pessoas já foram atendidas. A novidade agora, conforme uma psicóloga do grupo Carolina Pereira Dittz, é a criação de novas turmas, com a ampliação da equipe.

O atendimento psicológico conta com atividades direcionadas ao aprendizado de novas formas de interação social. É um trabalho de abordagem cognitivo-comportamental, que usa técnicas para controle da ansiedade, treino de habilidades sociais, dentre outras. “O tratamento apresenta uma resposta mais efetiva porque começa pelo fato de a pessoa já estar trabalhando sua timidez em grupo”, afirmou Carolina. Segundo ela, as atividades são voltadas para que os pacientes interpretem situações sociais do cotidiano de formas alternativas.

“Muitas vezes, a timidez faz com que a pessoa distorça a realidade. Então, mostramos a ela como falar em público ou com alguma autoridade para fazer com que a ansiedade dela reduza”, explicou a psicóloga.

O projeto é desenvolvido no Departamento de Psicologia da UFJF e recebe inscrições pelo telefone (32) 3216-1029. O trabalho promove ainda o aprofundamento em pesquisas já existentes na área, com um viés terapêutico e psicossocial.

Saiba mais

Turmas. Os grupos são formados por até 12 pessoas. Os encontros são semanais, de uma hora e meia, e duram cerca de três meses e meio – de 12 a 14 sessões. Pessoas a partir de 18 anos, sem limite máximo de idade, podem se inscrever. O horário da terapia varia de acordo com a demanda dos grupos. Avaliação. As psicólogas avaliam a condição dos pacientes e o tipo de tratamento necessário. A timidez, em um nível patológico, é aquela que prejudica a pessoa de interagir socialmente e de realizar atividades do cotidiano. É recomendável a busca por ajuda antes do problema se agravar. Sintomas. Pessoas com transtorno de ansiedade social ficam paralisadas diante de algumas situações de interação, têm taquicardia ao falar em público, ficam vermelhas, suam frio. Algumas têm dificuldade de conversar com autoridades, comer em público ou emitir opinião. Tratamento. Tarefas cognitivas ajudam a perceber o que o paciente pensa diante de uma situação social e como ele se comporta. É feita uma lista de situações que geram ansiedade para que sejam trabalhadas alternativas, como técnicas de relaxamento e treino antes de falar em público. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave