Vendas em maio caem 7,4% e setor quer crédito

iG Minas Gerais |

Aumento do IPI para veículos deve ser a partir do dia 1º de julho
Samuel Aguiar /O Tempo
Aumento do IPI para veículos deve ser a partir do dia 1º de julho

SÃO PAULO. A crise no setor automobilístico pode se agravar. As vendas de veículos leves tiveram queda de 7,4% em maio, comparando-se ao mesmo mês do ano passado, segundo a Federação Nacional de Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave). Na comparação com abril deste ano, o recuo foi de 0,65%. No mês passado, foram vendidas 277.924 unidades no país.

Já no acumulado do ano, foram comercializados 1.332.017 veículos leves – queda de 5,19% sobre o acumulado de janeiro a maio de 2013.

As vendas de caminhões e ônibus tiveram uma performance melhor no mês passado. Foram vendidas 15.459 unidades – uma alta de 14,49% em relação às 13.502 unidades de abril, mas queda de 0,97% sobre maio de 2013.

Se forem somados motos, implementos rodoviários, máquinas agrícolas e outros veículos emplacados, o total de veículos comercializado em maio de 2014 chegou a 440.088 unidades – alta de 1,26% na comparação com abril. Mas o número representa queda de 5,74% comparando-se a maio de 2013.

O presidente da entidade, Flávio Meneguetti, afirmou nessa terça que o setor não espera mais nenhum tipo de incentivo tributário do governo, mas quer mais crédito para financiar as vendas. “O governo já sinalizou que não tem como manter incentivos, porque precisa fechar as contas”, lamentou. Os resultados só não foram piores em maio por causa de promoções e feirões promovidas pelas montadoras e revendas.

A Fenabrave já trabalha com o aumento do IPI a partir do dia 1º de julho.

Argentina. Os governos do Brasil e da Argentina acertaram nessa terça a renovação do acordo automotivo por mais um ano com a volta do mecanismo “flex”, pelo qual se cria uma proporção entre exportações e importações para que o comércio bilateral fique isento de Imposto de Importação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave