Cartões de crédito e cheque especial

iG Minas Gerais |

Nos últimos anos, o uso de cartão de crédito e de débito no Brasil aumentou bastante. Uma das razões foi o acesso cada vez mais fácil a um cartão de crédito. Quase que diariamente recebemos ofertas de bancos e lojas para preenchermos uma solicitação de cartão de crédito. O problema começa quando não compreendemos a função de um cartão de crédito. Ele foi criado e deve funcionar como um meio de pagamento. Ao contrário do que muitos pensam, um cartão de crédito não é um dinheiro extra, não é um aumento de nossa renda. Cartão de crédito, como disse, é um meio para pagarmos nossas despesas, que também poderiam ser pagas com dinheiro vivo, com cheque ou com cartão de débito. O cartão de crédito é uma forma de concentrarmos o pagamento de algumas das despesas previstas em nosso orçamento em uma única data (a data de vencimento da fatura do cartão). E com algumas vantagens, já que as administradoras de cartão oferecem uma série de recompensas para quem usa os serviços: acúmulo de milhas ou pontos que podem ser transformados em passagens aéreas, diárias de hotel ou mesmo desconto em uma próxima fatura. Esse é o uso inteligente do cartão: concentramos nossas despesas (farmácia, supermercado, combustível etc) em uma única data e fazermos o pagamento integral da fatura do cartão de crédito nessa data. O primeiro grande erro que se pode cometer (e irá gerar um grande prejuízo futuro) é fazer um pagamento parcial da fatura do cartão de crédito. A taxa de juros que incide sobre o valor que não foi pago está entre as maiores do mercado. A diferença entre o valor pago e o valor total se torna um empréstimo com taxas em muitos casos superiores a 10% ao mês. Ao mês, é bom frisar! Uma bola de neve de dívidas pode estar começando. O segundo grande erro que cometemos é usar o cartão de crédito como uma complementação do nosso orçamento. Acabou o dinheiro, mas ainda não acabou o mês, a solução é pagar as despesas com o cartão. Estamos aumentando o nosso desequilíbrio orçamentário. Outro importante tema é o cheque especial. Sentimo-nos extremamente importantes quando o gerente avisa que acabou de implantar um cheque especial em nossa conta corrente. Segundo ele, isso é para demonstrar que somos clientes especiais para aquele banco. Somos especiais, sim, pois cada vez que utilizamos este crédito (sim, cheque especial é uma linha de crédito que foi colocada à nossa disposição) estamos aumentando o lucro dos bancos. Os juros do cheque especial hoje variam entre 7% e 14% ao mês. É muito mais do que a inflação anual no nosso país. É uma opção de crédito com uma das maiores taxas de juros existentes. E o que precisamos fazer para utilizar o limite do cheque especial? Basta emitir um cheque ou fazer um saque no caixa. A facilidade é enorme, o que aumenta a tentação. Muitos bancos, inclusive, ao nos fornecer o saldo de nossa conta corrente acrescentam ao “valor disponível para saque” o limite do cheque especial. Muitas pessoas, quando estão organizando as contas do próximo mês, costumam somar às receitas (salários e outros rendimentos) o valor do cheque especial. E acabam vivendo no vermelho e criando também uma dívida que crescerá como bola de neve. Cada uma deve ter a consciência de sua capacidade de lidar com as tentações de um cartão de crédito e cheque especial. Se você não é capaz de controlar seus impulsos de consumo, a melhor receita é ficar afastado dessas “tentações”. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave