Clima esquenta e Newton chama Dilzon de asqueroso

PTB fez associação negativa de Pimentel com peemedebista

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Festa. 
Fernando Pimentel esteve ao lado de Newton Cardoso durante sua comemoração de aniversario
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Festa. Fernando Pimentel esteve ao lado de Newton Cardoso durante sua comemoração de aniversario

A campanha eleitoral na TV e no rádio começa, oficialmente, no dia 19 de agosto. No entanto, o clima de enfrentamento já é flagrante nas inserções em horário nobre, com ataque aos adversários. O exemplo mais recente é a propaganda do PTB mineiro, que foi ao ar na segunda-feira (02). O vídeo começou destacando o partido como o primeiro do país na luta trabalhista, mas a maior parte do tempo foi dedicada a criticar o pré-candidato do PT ao governo do Estado, Fernando Pimentel.

A legenda levou à TV imagens do ex-ministro durante o churrasco de aniversário do ex-governador Newton Cardoso (PMDB), há dez dias, em que o peemedebista declara apoio a Pimentel. Para o PTB, “Minas não aceita mais esse tipo de parceria”.

O ataque não durou incólume 24 horas. Na tarde desta terça-feira, Newtão foi à tribuna da Câmara dos Deputados e disparou contra o presidente do PTB de Minas, o deputado estadual Dilzon Melo. “Saiba o deputado Dilzon Melo que sou um homem honrado e tenho todas as minhas contas públicas aprovadas em todos os tribunais. Você mexeu num vespeiro. Vou, a partir de agora, execrar sua vida pública, seu passado que lhe condena”, atacou o ex-governador, que se referiu ao petebista como “bandido”, “figura asquerosa”, “puxa-saco” e “politiqueiro barato”.

A reportagem procurou Melo para que comentasse os ataques. De acordo com o gabinete do deputado na Assembleia, ele estava em viagem a Brasília e não foi localizado.

O PTB é um dos 19 partidos que integram o arco de aliança do PSDB e seu pré-candidato ao governo de Minas, Pimenta da Veiga. Outras duas legendas aliadas já haviam levado ao ar inserções com referências negativas ao PT, principal adversário dos tucanos.

O PP levou à tela uma propaganda cujo teor colocava, de um lado, Pimenta da Veiga e Aécio Neves – que “tem construído uma Minas melhor” –, e, de outro, “o PT de Pimentel e Dilma”. Já o PSD destacou que “nem mesmo com o ex-ministro Pimentel sendo de Minas e o melhor amigo da presidenta”, saiu do papel a duplicação da BR–381, a revitalização do Anel Rodoviário e a expansão do metrô em Belo Horizonte. A Justiça Eleitoral determinou, em ambos os casos, a suspensão total ou parcial das inserções.

Para o deputado federal Miguel Corrêa (PT), o partido acerta ao levar as inserções à Justiça Eleitoral. Ele considera que a tática dos adversários é prejudicial a eles mesmos, já que “a população não tolera esse tipo de ataque”. Sobre o apoio declarado de Newton Cardoso a Pimentel, Corrêa diz que “nenhuma candidatura é capaz de decidir sobre ter ou não o apoio de uma pessoa”. “Isso é do foro íntimo de cada um. O que nós temos é uma aliança concreta com o PMDB”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave