Laços de amizade de longa data unem grupo da seleção

Diversos jogadores que estão hoje no grupo de Felipão já se conheciam desde as categorias de base ou no início de suas carreiras

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Willian e David Luiz se conheceram aos oito anos de idade, ainda na escolinha de futebol de Marcelinho
Gaspar Nóbrega/VIPCOMM
Willian e David Luiz se conheceram aos oito anos de idade, ainda na escolinha de futebol de Marcelinho

O ciclo de amizades e relacionamentos dentro da seleção brasileira vai bem além da coincidência momentânea dos clubes de alguns dos jogadores convocados pelo técnico Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo, casos do quarteto do Chelsea e das duplas de Atlético-MG, Barcelona e Paris Saint-Germain - levando em consideração que o zagueiro David Luiz trocou o clube inglês pelo francês após a divulgação da lista do treinador.

O São Paulo, por exemplo, tem dois jogadores formados nas divisões de base na seleção brasileira - o meia Oscar e o volante Hernanes. O próprio Hernanes, porém, destacou que conheceu no clube do Morumbi outros jogadores, como o atacante Hulk e o zagueiro David Luiz, que acabaram se formando em outros times.

"Além do Hulk, também tem o David Luiz. Estivemos juntos na base. Todos em testes, convivemos no alojamento, em um grupo de 16, que tentavam a chance de virar um jogador. Depois, eles foram embora e nos encontramos numa situação melhor", disse Hernanes.

O meia Willian foi formado nas divisões de base do Corinthians, assim como o atacante Jô, mas é a sua relação com David Luiz que ele prefere destacar. Os dois jogadores se reencontraram no Chelsea, mas se conheceram bem antes, quando eram crianças. Willian não escondeu a sua admiração por Jô, a quem classificou como "amigo para toda a vida" e recebeu um irônico coração com as mãos de David Luiz durante entrevista coletiva como retribuição.

"Conheço o David desde os 8 anos, da escolinha do Marcelinho. Depois, ele mudou para a do Cesar Sampaio e foi para o São Paulo Eu fui para Corinthians e perdemos contato. Nos encontramos no Mundial Sub-20, e mantivemos contato", disse. "Quando o Chelsea estava interessado, o David Luiz apoiou, disse para a diretoria que deveria me contratar. É um amigo que conquistei no futebol, para até depois de encerrar a carreira", completou. "Ele era mais magrinho, não tinha esse cabelo, acho que precisa de uns reparos", concluiu.

Sem êxito nas divisões de base do São Paulo, David Luiz e Hulk acabaram sendo formados pelo mesmo clube, o Vitória. Para o zagueiro, essas coincidências ajudam na formação do elenco. "Isso é legal, porque você sabe como a pessoa é fora de campo, sabe como reage quando está bem ou mal", avaliou.

Recém-contratado pelo Paris Saint-Germain, o zagueiro David Luiz agora também jogará no mesmo clube de Thiago Silva, seu companheiro no sistema defensivo da seleção brasileira, além do lateral-esquerdo Maxwell. E ele não esconde a sua admiração e carinho pelo companheiro.

"É um grande amigo e jogador, uma pessoa com quem me dou muito bem. Nos conhecemos na seleção e nos entendemos bem. É um cara serio, até resmungão, doce, humilde, tem os mesmos sonhos que eu tenho. Vou conviver mais com ele do que com a minha família. Não é toda vez que se tem a oportunidade de jogar ao lado de um cara como ele. A gente nunca entrou em rivalidade, falamos sempre de forma tão natural. Isso só me faz ter certeza de que tem a mesma personalidade e princípios que tenho", comentou.

Nenhum clube, porém, formou mais jogadores - três - dessa seleção do que o Cruzeiro, onde iniciaram a carreira o goleiro Jefferson e os laterais Maicon e Maxwell. E foi no time mineiro que eles conheceram Felipão, técnico da equipe em 2000 e 2001. E a luta para chegar até a Copa do Mundo une o grupo de convocados, segundo David Luiz. "Alguns aqui se conhecem desde a infância. É um grupo humilde, com pés no chão e todos pensam da mesma forma", concluiu.

Leia tudo sobre: seleção brasileiraamizadegrupofelipãodavid luizhulkatléticogalochelseapsgthiago silvahuulkhernaneswilliancorinthianssão paulo