Briga de trânsito causou morte de jovem que foi espancado e atropelado

Após ouvir várias testemunhas, Polícia Civil prendeu quatro jovens em flagrante por homicídio duplamente qualificado

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Veículo usado para passar por cima da vítima foi apreendido pela polícia
Elcio Simas/Corpo de Bombeiros
Veículo usado para passar por cima da vítima foi apreendido pela polícia

Uma batida de retrovisores foi suficiente para quatro ocupantes de um veículo espancarem, passarem com o carro por cima do corpo e matarem um jovem de 24 anos na rodovia AMG-1635, que liga a cidade de Lavras a Ribeirão Vermelho, ambas no Sul do Estado. O caso aconteceu na madrugada do último sábado (31), mas a prisão dos autores pela Polícia Civil aconteceu nesta segunda-feira (2).

Segundo as informações do delegado Jaison Stangherlin, da Delegacia de Lavras, a princípio a informação que se tinha era de um atropelamento com vítima fatal. "No curso das investigações, ouvimos muitos envolvidos e descobrimos que se tratava de um homicídio duplamente qualificado, já que foi por motivo fútil e sem possibilitar defesa à vítima", afirmou o policial. 

No dia, Anderson Pereira de Oliveira estava em um Volkswagen Santana que seguia na rodovia em direção à Ribeirão Vermelho na companhia de sua namorada, do filho dela e do motorista. De repente, eles bateram o retrovisor no espelho externo de um Volkswagen Gol vermelho que seguia na direção contrária. 

"O ocupantes do Gol iniciaram uma perseguição e conseguiram fechar a frente do carro em que a vítima estava. Ele desceu para conversar com os autores e passou a ser agredido. Segundo as testemunhas, haviam cinco pessoas no carro, mas apenas quatro desceram e participaram das agressões", relatou Stangherlin. 

Assustado, o condutor do carro em que a vítima estava fechou o vidro e trancou as portas, momento em que um dos autores deu um chute no vidro e o acertou no rosto, momento em que ele fugiu e deixou Oliveira sozinho na rodovia. "O quinto ocupante do carro relatou que ao ver a confusão, desceu do carro e resolveu seguir caminhando pelo caminho. Ele ainda relatou ter ouvido gritos da vítima enquanto andava", lembrou o delegado. 

Provas

Uma  outra testemunha prestou depoimento e auxiliou a polícia na investigação. Um motorista de um outro veículo que passava pela via viu uma pessoa caída no chão, um dentro do automóvel parado e outras quatro do lado de fora. "Ao perceberem que outra pessoa testemunhou o crime, eles resolveram ir embora mesmo com o pneu furado e chegaram a ultrapassar o carro desta testemunha que chegou a parar para prestar socorro", lembrou o delegado Jaison Stangherlin. 

Após os depoimentos, foi possível efetuar a prisão dos quatro suspeitos, identificados apenas como Tiago, de 22 anos, Helmer, Edson e Paulo, todos de 20 anos. Eles foram presos em flagrante por homicídio duplamente qualificado e já foram encaminhados para o Presídio de Lavras.

Ainda de acordo com o policial, os depoimentos das testemunhas ajudaram na elucidação do crime, mas as provas periciais também provariam que não se tratava de um atropelamento. "Quando uma pessoa é atropelada, o corpo é projetado. Entretanto, a perícia constatou que os ferimentos indicavam que os suspeitos passaram com o carro por cima da vítima já ferida no chão", concluiu o delegado.

Leia tudo sobre: BRIGA DE TRÂNSITOLAVRASRIBEIRÃO VERMELHOMORTO