Dirigente do COL minimiza problemas no Itaquerão

Ricardo Trade, executivo da organização, diz que 'goteiras' podem acontecer, mas elogiou acesso por transporte público

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Diretor executivo do COL, Ricardo Trade, diz que não há plano B para o Itaquerão na Copa
MARIELA GUIMARÃES/O TEMPO
Diretor executivo do COL, Ricardo Trade, diz que não há plano B para o Itaquerão na Copa

"Nós estamos bem satisfeitos." Foi com o tradicional otimismo que o principal executivo do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, Ricardo Trade, definiu nesta segunda-feira o resultado do segundo e último evento teste realizado no Itaquerão, palco da abertura da Copa. Ele minimizou os problemas de acesso ao estádio, as obras ainda em execução e o fato de 28 mil lugares não terem sido testados durante o jogo entre Corinthians e Botafogo, no domingo, pelo Brasileirão.

"Fui (ao estádio), observei, conversei com as pessoas. Não sou uma pessoa de ficar sentada, tive reuniões. E a avaliação que nós tivemos... Principalmente destacar a entrada de público novamente vindo em sua maioria por transporte público, nos modais de metrô e trem. Isso nos traz um orgulho danado de que nós estamos no caminho correto de trabalhar o transporte público para o evento", afirmou Trade.

Ele também procurou demonstrar tranquilidade com as obras que ainda estão sendo feitas no estádio que, em dez dias, receberá a partida de abertura da Copa, entre Brasil e Croácia. "Claro que um pingo de água aqui, torneira ali, uma coisa que possa haver... É assim que são feitos os testes", minimizou.

"Para nós, (os testes) foram importantes, mas nós continuamos lá estamos trabalhando. Falei com o Andrés (Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians e principal responsável no clube pelo estádio), hoje pela manhã, já falei com o pessoal que está fazendo as estruturas complementares pela manhã, estamos trabalhando, nossas equipes estão lá, começam a chegar todas as câmeras, começa a se montar o palco. Significa que nós podemos lá dentro mesmo realizar alguns testes, umas ações, que possa compensar por não ter tido a entrega em dezembro", disse o dirigente do COL.

Trade, porém, demonstrou impaciência quando questionado sobre o fato de o Itaquerão não ter sido testado com sua capacidade total. "Esquece isso. Está excelente isso, já falei para vocês: 40 mil pessoas em todos os dois jogos para nós foi suficiente", afirmou o executivo, lembrando que o estádio também recebeu Corinthians x Figueirense, no dia 18 de maio, com público reduzido.

"Você testa, como nós testamos em vários estádios, às vezes ele cheio, às vezes nem tão cheio. Neste momento, a gente testou com 40 mil, o que para nós e para a cidade e para o Estado foi tremendamente suficiente. Nós estamos bem satisfeitos. Não ponham isso em dúvida de nossa parte, do que nós estamos fazendo. Nós estamos alinhados com o governo e com a cidade e para nós foi suficiente", garantiu Trade.

Leia tudo sobre: copa do mundocolitaquerãoricardo tradeobras