“A lei existe e será cumprida”

iG Minas Gerais |

Marcha. Manifestantes protestam contra o leilão do campo de Libra, da Petrobrás, no ano passado
Felipe Dana
Marcha. Manifestantes protestam contra o leilão do campo de Libra, da Petrobrás, no ano passado

Brasília. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reagiu às declarações de black blocs . “É inadmissível a união pelo crime”, desabafou. “É inadmissível que pessoas queiram se associar ao crime para fazer reivindicações”, declarou o ministro. E avisou: "Não toleraremos abuso de qualquer natureza e as pessoas que praticarem ilícitos responderão nos termos da lei penal”.

Cardozo assegurou que o governo está monitorando todos os setores considerados estratégicos, que poderão criar algum tipo de problema, e salientou que “existe uma cooperação entre os serviços de inteligência dos governos federal e estadual para acompanhar as mais diversas situações”. O ministro informou que o governo monitora diversos segmentos e que não pode detalhar onde por se tratar de informação de inteligência. Salientou ainda que todos os setores das instâncias governamentais estão integradas e “preparadas para todas as situações”.

O ministro destacou que as autoridades policiais “estão prontas para qualquer situação” e todas as medidas de segurança foram tomadas. “Estamos muito seguros que teremos bom padrão de segurança na Copa e estamos preparados para enfrentar situações desta natureza”.

Ele criticou ainda a motivação dos jovens, que alegaram que esta era uma forma de exigir que o Estado prestasse os serviços direito para a população. “Se alguém acha que vai melhorar o mundo com este tipo de método, incorre em um equívoco reprovável por toda a sociedade brasileira”, afirmou ele acentuando que “a lei existe e será cumprida”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave