Idec diz que assédio fere Constituição e Código Civil

iG Minas Gerais |

A economista do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Ione Amorim, ressalta que o acesso aos dados bancários é uma questão muito séria que merece mais fiscalização e interação entre a Previdência Social, que tem os cadastros dos aposentados e pensionistas, com o Banco Central, que regula os bancos. “A Previdência diz que não sabe como acontece, mas é fato que há um vazamento dessas informações. É abusivo e inconstitucional. Fere o Código Civil, pois o cidadão tem direito ao sigilo bancário”, destaca Ione.

Sobre o assédio dos bancos via telefone, a economista diz que, se os bancos não têm controle sobre o que os agentes dizem, deveriam. “São representantes, mas falam em nome dos bancos”. (QA)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave