Ensaio ‘newborn’ está em alta

Durante as fotos, a rotina de sono e de alimentação deve ser respeitada

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Estúdio preparado. Recém-nascido fotografado por Camyla Gouvêa, que montou um espaço próprio para garantir a segurança do bebê
Estúdio preparado. Recém-nascido fotografado por Camyla Gouvêa, que montou um espaço próprio para garantir a segurança do bebê

Mal acabaram de nascer e com menos de 15 dias de vida alguns bebês já participam de ensaios fotográficos como verdadeiros modelos. Chamada “newborn” (recém-nascido), esse tipo de técnica foi criada nos Estados Unidos e está se tornado cada vez mais comum no Brasil. Mas é preciso ter atenção e cuidado desde a escolha do profissional até a hora do clique.

Mãe de primeira viagem, a bióloga Renata Oliveira, 27, tinha receio, mas soube escolher bem a fotógrafa que registrou os primeiros momentos de Luca, 3 meses. “Luca tinha 22 dias, e o ensaio durou das 11h até as 16h, mas foi respeitado o tempo dele para mamar, e era só quando ele dormia que ela (fotógrafa) fazia as fotos. Não quis deixar de fazer o ensaio, porque os bebês crescem muito rápido. Hoje, quando vejo as fotos, já sinto saudade”, conta.

Famosas, como as atrizes Cássia Linhares e Nívea Stelmann, além da miss Brasil 2007, a mineira Natália Guimarães, 29, comprovam que a ideia está em alta. “O ensaio foi feito quando elas (gêmeas Maya e Kiara) tinham 15 dias de vida, em estúdio próprio, que procuramos deixar bem aquecido. Com dois bebês foi mais difícil porque elas não estavam com o mesmo humor. Durante as fotos, uma fez xixi, e a outra, cocô”, conta Natália, mãe das gêmeas, que hoje têm 9 meses. Maya e Kiara são fruto do relacionamento da mineira com o músico Leandro Scornavacca, e uma das fotos do ensaio virou a capa do CD do grupo KLB.

Associação. A fotógrafa Cinara Piccolo, uma das sócias-fundadoras da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos (ABFRN), recomenda que esse tipo de ensaio seja feito quando o bebê tem de 6 a 15 dias de vida. “Antes eram poucos fotógrafos que realizavam esse tipo de ensaio, agora temos excelentes profissionais ensinando como fazer direito”, diz.

Mesmo assim, a fotógrafa afirma que, em todo o país, somente cem fotógrafos são associados à ABFRN, sendo seis em Minas Gerais. “Para se tornar um associado, o fotógrafo passa por um rigoroso processo de avaliação”, conta Cinara.

A fotógrafa Paula Beltrão, por exemplo, já precisou ter jogo de cintura com alguns pedidos dos pais. “Certa vez, um pai pediu para colocar o filho em um vaso de cristal da casa, mas não fizemos a foto para preservar a segurança do bebê. Nesse tipo de ensaio, tem que se pensar não só no melhor ângulo, mas, principalmente, nos cuidados com a criança”, conta.

Também especialista na área, a fotógrafa Camyla Gouvêa acredita que quem busca entrar no ramo deve ter a “paciência como sobrenome”. “É um exercício de paciência e de muito carinho. Os bebês choram, têm muita cólica, tem que ter um tempo para a mãe amamentar. Não é aquela paz o tempo todo”, afirma.

Por isso, a fotógrafa diz que costuma marcar apenas um ensaio por dia e sem hora definida. “Montei um espaço dedicado a isso para evitar visitas-surpresa, telefone tocando e ter um controle maior”, conta Camyla, que já registrou quase 600 crianças e mantém o www.bebeblogueiro.com.br.

Valores. De acordo com a ABFRN, o preço varia de acordo com a região do país, mas, em média, um ensaio “newborn” custa de R$ 1.200 a R$ 2.000.

Pioneirismo

Australiana. Com fotos publicadas em 83 países e livros que já venderam mais de 18 milhões de cópias no mundo, a fotógrafa australiana Anne Geddes é a principal referência na área.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave