Ansiedade controlada

Autora de “Vitória”, Cristianne Fridman minimiza problemas de bastidores e torce por boa audiência

iG Minas Gerais |

Curaçao. Atores Bruno Ferrari e Thaís Melchior, protagonistas de “Vitória”, gravaram cenas maravilhosas no Caribe
Rede Record/Divulgação
Curaçao. Atores Bruno Ferrari e Thaís Melchior, protagonistas de “Vitória”, gravaram cenas maravilhosas no Caribe

A segurança e satisfação de Cristianne Fridman com “Vitória” impressionam. Sem se esquivar de perguntas sobre as crises da novela – com a saída de Dado Dolabella, um dos protagonistas da trama, do elenco – ou sofrer por antecipação com as pressões pela audiência, a autora das bem-sucedidas “Chamas da Vida” e “Vidas em Jogo” acredita que o novo trabalho evidencia sua maturidade como escritora. “Em duas novelas como titular, tive a liberdade de experimentar e saber o que podia funcionar ou não. Agora, ainda busco novos caminhos, mas de forma mais focada e com personagens melhor construídos e maduros”, analisa.

A história central de “Vitória”, que tem direção de Edgard Miranda, gira em torno de Diana e Artur, protagonistas de Thaís Melchior e Bruno Ferrari. O nome de batismo do rapaz, na verdade, é Mossoró. Mas ele assume uma nova identidade para planejar uma vingança contra o pai, Gregório, papel de Antônio Grassi. O ódio começa quando, aos 12 anos, Mossoró cai do cavalo, fica paraplégico e é rejeitado pelo pai por conta da deficiência. Mais tarde, ao descobrir que não é filho de sangue de Gregório, planeja seduzir sua suposta meia-irmã, Diana, para atingi-lo. O próprio Gregório, no entanto, desconhece o fato de não ser pai biológico do rapaz. “Toda a amargura do personagem tem sentido dentro da história, ele vivenciou várias coisas. É um papel humano”, ressalta Bruno Ferrari, que passou cerca de dois meses se movimentando em uma cadeira de rodas, dentro de sua casa, para se preparar para o personagem.

Confira a entrevista com a autora Cristianne Fridman:

“Vitória” é sua terceira novela como autora titular na Record. Quais os diferenciais que você apontaria nesta nova empreitada? Temos um mocinho cadeirante, um núcleo de neonazistas e vamos falar também sobre trabalho infantil. Mas acho que o diferencial da novela não está no tema, mas na abordagem. Já encheu o saco encontrar sempre os mesmos limitados personagens nas tramas. Minha mocinha não é correta, o núcleo cômico tem momentos dramáticos, todo mundo é meio vilão e meio boa praça.

Com as gravações a todo vapor, Dado Dolabella foi demitido. Como a saída dele repercutiu no seu processo de trabalho? Alterou toda a estrutura da novela. Todo mundo foi prejudicado, inclusive, ele mesmo. Para mim, foi uma aposta que não conseguirei concluir. E todos decidimos seguir em frente. O personagem dele, Léo, que iria disputar a mocinha, Diana, com o Artur, vai aparecer como uma participação nos primeiros capítulos e só.

“Vidas em Jogo”, de 2011, foi a última novela da Record a entregar audiência com dois dígitos na média geral. Como você analisa a perda de audiência? Acho que tudo é fase. A Record teve uma fase de altos índices, que agora estão médios e podem aumentar de novo. A Globo passa por uma crise parecida com suas tramas. É importante incentivar a teledramaturgia no Brasil. A Record sabe fazer novelas e tem a importante função de movimentar o mercado.

Quem é quem

Artur (Bruno Ferrari). Dono do haras Arminho e de uma rede hoteleira, fica paraplégico aos 12 anos depois de cair de um cavalo. Seu pai, Gregório, se afasta diante do ocorrido, o que faz o menino crescer com ódio de seu progenitor.

Diana (Thaís Melchior). Ótima joqueta, se apaixona por Artur e sofre por pensar que cometeu incesto ao se envolver com o rapaz, já que acredita que ele é filho biológico do primeiro casamento de seu pai, Gregório.

Gregório (Antônio Grassi). Dono do haras Altacyr Ferreira, o qual levou à falência. Para reverter a situação, se casou com Clarisse por interesse em seu dinheiro.

Clarice (Beth Goulart). Tem no filho a única motivação na vida e guardou o segredo da paternidade de Artur por anos. Vai ser internada em uma clínica psiquiátrica.

Rafael (Rodrigo Phavanelo). Advogad que vai ajudar Diana a impedir que Artur destrua o haras Altacyr Ferreira.

Mossoró (Ricky Tavares). Dono do clube de motocross de Petrópolis, não se interessa por cavalos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave