O homem do poder central

Protagonista de “Plano Alto”, Milhem Cortaz valoriza a exibição de uma série política em tempos de eleições

iG Minas Gerais | Geraldo Bessa |

Boca de urna. Para o ator, não existe melhor momento para lançar “Plano Alto”, por causa das eleições
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Boca de urna. Para o ator, não existe melhor momento para lançar “Plano Alto”, por causa das eleições

Milhem Cortaz se alimenta da ambiguidade de seus personagens. E pelos roteiros que já recebeu de “Plano Alto”, série de teor político que a Record planeja estrear no próximo semestre, o ator vai ter um bom material para construir as complexidades de João Flores, protagonista da produção. “Meu personagem tem um passado forte, foi um dos caras-pintadas que protestaram pelo fim do governo Collor. O tempo passa, ele entra para a carreira política e tem de lidar com os problemas cotidianos de Brasília. É isso que o deixa na corda bamba”, conta. Preparando-se para o novo papel há cerca de dois meses, Milhem acredita que muito de seu personagem pode ser visto nas notícias de Brasília que repercutem nos jornais. “A série é de ficção, mas extremamente conectada aos fatos. Vamos ter políticos corruptos que já foram revolucionários, manifestantes, black blocs e outros tantos tipos que aparecem nas manchetes sendo retratados. Meu personagem é o ‘elo’ entre os acontecimentos”, entrega.

Para o ator, não existe melhor momento para a Record lançar “Plano Alto”, com a política voltando a fazer parte das discussões dos brasileiros e às vésperas das eleições de 2014. “É oportuno e acho que vai dar o que falar”, aposta. Assinada por Marcílio Moraes, autor que, sempre que pode, aborda o universo político em seus trabalhos, a produção vem sendo idealizada desde o início do ano passado. E tomou forma com a entrada de Ivan Zettel na direção do projeto. Apesar do atraso para o início das gravações, marcadas para começar, enfim, no dia 15 de junho, as locações já foram definidas e a série vai ser totalmente captada entre Rio de Janeiro e, obviamente, Brasília. “Vai ser bacana gravar na origem dos fatos. Por certo que vou me inspirar bastante”, acredita.

Paulistano de origem árabe, Milhem encontrou seu caminho na TV aos poucos. Aos 41 anos, ele mesmo admite que demorou a focar o veículo, pois estava ocupado demais com o cinema – ele tem uma filmografia que já contabiliza cerca de 35 filmes. E o ator ainda lança mais quatro em 2014. “Sempre assumi essa paixão pelo cinema”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave