Sinal de alerta

Thiago Mendonça reforça a mensagem importante de seu personagem na novela “Em Família”

iG Minas Gerais | Belisa Taam |

Estudo. Thiago Mendonça mergulhou no universo do personagem, estudou, assistiu a filmes e novelas, como “Por Amor”
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Estudo. Thiago Mendonça mergulhou no universo do personagem, estudou, assistiu a filmes e novelas, como “Por Amor”

De maneira centrada, Thiago Mendonça se distancia dos holofotes que a televisão proporciona. Na pele do médico alcoólatra Felipe de “Em Família”, o ator define seu trabalho no folhetim de Manoel Carlos como a hora ideal para ter um diálogo sério com o telespectador. “Tenho consciência de que o trabalho do ator não é somente entreter. A novela é o meio acessível para espelhar a estrutura e os problemas que passamos”, analisa. Por isso mesmo, para não cair em um tipo caricato, Thiago revela que não quer se fixar no estereótipo de uma pessoa bêbada. E sim mostrar alguém que luta contra a doença, tema já exposto em textos anteriores do autor. “Maneco faz umas rubricas sinalizando para que o personagem não fale com a língua enrolada”, revela.

Nas cenas, a carga dramática do papel não passa despercebida. Inclusive nas sequências com a protagonista Helena, de Julia Lemmertz, que ajuda o irmão a se livrar da bebida. Para Thiago, a questão do vício no álcool é algo mais recorrente do que se imagina. “Todo mundo tem um parente ou conhecido que passa por esse drama”, opina. O personagem ainda aposta todas as fichas para conquistar a médica Silvia, interpretada por Bianca Rinaldi. Para o ator, o sentimento não correspondido é crucial para desencadear as recaídas de Felipe. “Ele é um médico displicente, mas o amor pode curar tudo”, torce.

Assim que recebeu o convite do diretor de núcleo Jayme Monjardim, o ator procurou acumular histórias semelhantes às do personagem. Para Thiago, o estudo de composição mais rico é a percepção dos detalhes da própria rotina. “Foi uma colcha de retalhos. Me abri para os relatos, tanto de homens quanto de mulheres, e fui moldando”, conta. Além disso, o intérprete de Felipe se baseou em referências do filme norte-americano “Farrapo Humano”, em que o protagonista sofre de crise de abstinência quando é proibido de beber. “Os personagens são gentis e dóceis, mas sofrem com a doença. O maior desafio é humanizar esse tipo”, revela ele, que ainda valorizou as conversas com os jovens atores Guilherme Prates e Vinícius Mazzola, intérpretes de Felipe na primeira e segunda fase da novela, respectivamente. “Trocamos ideias sobre o tom de voz e a maneira de falar”, ressalta.

Com papéis expressivos no cinema, como Luciano em “Dois Filhos de Francisco” e Renato Russo em “Somos Tão Jovens”, o ator de 33 anos enxerga seu bom espaço na tevê como um período propício para colecionar dicas dos veteranos do folhetim das nove. “Mesmo quando não estou nas cenas, tento ficar no estúdio para aprender assistindo”, elogia. Thiago ainda valoriza a dinâmica de uma obra aberta, na medida em que o ator fica com maior liberdade conforme o desenrolar da história. “Há uma continuidade que se forja conforme a prática do papel”, admite ele, que está em seu segundo papel fixo, após ganhar destaque como o cozinheiro Bernardinho em “Duas Caras”, exibida em 2007.

Nome completo: Rodrigo Mendonça (Thiago precisou de um nome artístico quando foi se cadastrar no banco de talentos da Globo. No registro, já existia outro Rodrigo Mendonça, filho dos atores Rosamaria Murtinho e Mauro Mendonça).

Perfil Data de nascimento: 28 de agosto de 1980 Local de nascimento: Belford Roxo (RJ) Signo: Virgem

Últimos papéis na TV: “Dalva e Herivelto” (2010), “Duas Caras” (2007), “O Profeta” (2006). “Malhação” (2002), “Sítio do Picapau Amarelo” (2001).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave