'Temos de respeitar a Bósnia', diz argentino Zabaleta

Lateral-direito enfatizou que os argentinos não podem se iludir com favoritismo anunciado

iG Minas Gerais | Agência Estado |

undefined

A Argentina foi uma das seleções mais "felizes" no sorteio dos grupos da Copa do Mundo. A equipe nacional terá pela frente Bósnia-Herzegovina, Irã e Nigéria e assim despontou como franca favorita a terminar a primeira fase da competição como uma das líderes das chaves do torneio. Neste sábado, porém, o lateral-direito Pablo Zabaleta enfatizou que os argentinos não podem se iludir com o favoritismo anunciado.

E o jogador enfatizou que isso já vale a partir da estreia, contra os bósnios, no dia 15 de junho, no Maracanã, pela primeira rodada do Grupo F. "A Bósnia é um rival pelo qual temos de ter respeito, conta com bons jogadores. A Argentina tem mais qualidade que a Bósnia, mas temos de jogar as partidas. Chegamos (à Copa) com as mesmas ilusões, será a estreia para ambos", ressaltou Zabaleta, que atua ao lado do atacante bósnio Edin Dzeko no Manchester City, campeão inglês na última temporada europeia.

Na entrevista coletiva que concedeu neste sábado, dia em que a seleção argentina fez o último treino antes de o técnico Alejandro Sabella divulgar a lista final de 23 jogadores convocados para o Mundial, o lateral também lembrou que os bósnios, assim como iranianos e nigerianos, jogarão sem o peso do favoritismo nesta primeira fase. E, pelo simples fato de não terem nada a perder, podem se tornar rivais perigosos na competição.

"Os candidatos (ao título) vão ser os mesmos dos Mundiais anteriores, pela questão da qualidade individual, da história, que sempre são fatores chaves. Mas não podemos nos descuidar de muitas seleções porque têm jogadores importantes, que não vão com a pressão de outras seleções e tendo um bom desempenho podem estar nas fases finais. A Bélgica, pela qualidade dos jogadores, e falei isso com meu parceiro (de Manchester City) Kompany (zagueiro belga), pode ser a grande surpresa do Mundial", destacou.

Após encarar a Bósnia na estreia, a Argentina terá pela frente o Irã, em 21 de junho, no Mineirão, em Belo Horizonte, antes de fechar a primeira fase da Copa diante da Nigéria, no dia 25, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Leia tudo sobre: bósnianigériairãargentinafavoritazabaleta