Assassinado por causa de um pen drive

Homem foi morto na porta da casa de um amigo, na frente da esposa e da filha, durante um churrasco

iG Minas Gerais | Flávia Jardim |

Sangue ainda estava exposto na casa do amigo da vítima no início da noite de ontem
Nelson Batista
Sangue ainda estava exposto na casa do amigo da vítima no início da noite de ontem

Um homem de 31 anos foi brutalmente assassinado no fim da tarde de ontem, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, por causa de um pen drive. O crime aconteceu na porta da casa de um amigo da vítima. Fábio Gonçalves Leal, de 31 anos, estava no local participando de um churrasco com a esposa e a filha de apenas três anos quando foi assassinado por vários tiros. Até o fechamento dessa edição, a polícia não havia confirmado o número de disparos. Segundo o amigo da vítima, Leal trabalhava como caldeireiro na Petrobras e sempre foi uma pessoa muito tranquila. “Ele morava no Laranjeiras e veio à minha casa por causa do churrasco. Estávamos todos aqui nos divertindo, quando ele foi chamado no portão da minha casa por outro amigo dele. Aí eles iniciaram uma discussão porque o Fábio tinha emprestado um pen drive e o cara não queria devolver. Foi quando aconteceu essa tragédia. O cara estava com uns amigos. Então, não sei quem atirou. É tudo muito triste. Nunca imaginei que isso iria acontecer na porta da minha casa. O Fábio era meu amigo de infância”, afirmou a testemunha, que terá seu nome preservado pela reportagem. Ainda de acordo com o amigo, a esposa da vítima se desesperou. “Ela ficou desesperada. Se não fosse a minha esposa, acho que ela teria pulado do segundo andar da minha casa, tamanho o choque que ela levou. Até agora não consigo acreditar que isso aconteceu. Matar uma pessoa como o Fábio por causa de um pen drive é um absurdo”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave