Dilma: tucanos vão pro beleléu

Caciques do PT fizeram nessa sexta mais um lançamento da pré-candidatura de Pimentel ao governo

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda / Larissa Arantes |

Pimentel recebeu Lula e Dilma ontem para lançar pré-candidatura
DENILTON DIAS
Pimentel recebeu Lula e Dilma ontem para lançar pré-candidatura

O ex-presidente Lula desembarcou na noite dessa sexta em Belo Horizonte e, ao lado da presidente Dilma Rousseff, deu o tom da campanha petista na briga pelo Palácio do Planalto e também em Minas Gerais. Ao lado do pré-candidato ao governo estadual, Fernando Pimentel, a maior liderança do partido no país afirmou que existe “99,9% de possibilidade de reeleger Dilma”. Garantindo que o Estado mineiro terá prioridade na disputa deste ano, Lula deixou claro que será o responsável pelas respostas aos ataques da oposição e disse que o papel de Dilma será o de “paz e amor”.

“Os nossos adversários estão aprendendo a fazer oposição. Mas não temos que ter medo da comparação. Mesmo onde erramos, ainda assim fizemos muito mais do que eles”, declarou, em referência às recentes críticas feitas por lideranças do PSDB e pelo presidenciável Aécio Neves.

Em um discurso de pouco mais de 30 minutos, Lula não poupou elogios a Pimentel, mas foi enfático ao se referir à oposição. “Eles (o PSDB) agora evoluíram o discurso para dizer que não fizemos muito. Criaram a tese de que tudo o que aconteceu foi esforço. Mas, se foi esforço próprio, por que não aconteceu no governo FHC (Fernando Henrique Cardoso)?”, questionou.

Dilma, por sua vez, confirmou o tom ameno, mas disse que não deixará de responder aos ataques. “Dilminha paz e amor, sim. Mas sem levar desaforo para casa”, avisou. Depois de ser interrompida por um militante, a presidente repetiu no microfone o que ele havia “cantado”: “Os tucanos vão pro beleléu, chegou o Pimentel”, disse, finalizando sua fala.

O evento dessa sexta, que reuniu mais de 1.200 pessoas no Minascentro, confirmou, por meio do voto simbólico dos militantes do partido, o nome de Pimentel na eleição deste ano. Na abertura de seu discurso, a presidente Dilma aproveitou para bater o martelo na chapa que vai ser oficializada na convenção, em julho. “Pimentel, Toninho (Antônio Andrade) e Josué Gomes formarão um excelente trio”.

Em referência à disputa em Minas, Lula acusou os governos do PSDB de terem um discurso controverso. Sem dizer o nome de Aécio, o petista colocou em xeque o desejo do tucano de instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investir a Petrobras. “Ele agora está querendo uma CPI, mas desde 2003 não se deixa fazer CPI no Estado”, disse. Citando o que chamou de falta de liberdade no Estado, o ex-presidente classificou a imprensa mineira como “governada pelo Estado”.

Intertítulo. Ovacionado pela plateia petista e já chamado de governador, Pimentel adotou uma postura menos passiva em seu discurso. Usando os três principais temas da oposição – ampliação do metrô, duplicação da BR–381 e revitalização do Anel Rodoviário –, ele garantiu que as falhas são do governo do Estado. “O que não dá certo é culpa do governo federal. O que dá certo, é porque trabalharam (governo do PSDB) muito para fazer”.

PROS

Adesão. O vice-presidente nacional do PROS, Gustavo Pires, anunciou durante o evento dessa sexta o apoio nacional e estadual do partido à campanha de Dilma Rousseff e Fernando Pimentel.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave