Atraso marca as obras de centro esportivo da UFMG

Complexidade do projeto justifica demora, segundo governo e universidade

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Contraste. Obra (ao fundo) se arrasta, enquanto obra de shopping começou em 2013 e está quase pronta
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Contraste. Obra (ao fundo) se arrasta, enquanto obra de shopping começou em 2013 e está quase pronta

Atrasadas há pelo menos seis meses, as obras da segunda etapa do Centro de Treinamentos Esportivos (CTE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no bairro São Luiz, na região da Pampulha, na capital, só devem ser concluídas em novembro, quase um ano após a previsão dada inicialmente para a entrega do complexo. Arrasta-se há mais de três anos a edificação de um moderno parque aquático no local, onde uma pista de atletismo funciona desde julho de 2012. UFMG e governo de Minas alegam que a complexidade do projeto e dos processos licitatórios causam a demora.

Apesar da expectativa pelo uso do local em treinamentos de estrangeiros – há inclusive pré-contrato com o comitê olímpico britânico –, o complexo não deve estar totalmente pronto a tempo das Olimpíadas de 2016. Isso porque sequer começou a última fase, a construção do pavilhão esportivo – que deve levar 20 meses. A etapa depende de licitação, que terá edital publicado nas próximas semanas, segundo o coordenador técnico-científico do CTE e professor do departamento de Educação Física da UFMG, Luciano Sales Prado.

“Apesar de tentarmos fazer o mais rápido possível, temos que tomar certos cuidados. Tudo precisa ser checado e conferido novamente, para que não haja erro”, explica. “Ao mesmo tempo que não pode haver desperdício de recursos, precisamos garantir qualidade.”

Estrutura. Com cerca de 80% das obras concluídas, o parque aquático terá piscina de 65 m, de última geração, inédita na América Latina. Duas bordas móveis – em produção na Espanha – vão permitir três configurações diferentes de tamanho. No andar inferior, haverá consultórios, laboratórios e salas de musculação e de reabilitação. Cerca de 90 funcionários concluem o teto e impermeabilizam a estrutura.

Infraestrutura

Espaço.  O CTE tem 13,8 mil m², para uso de atletas, treinadores e graduandos da UFMG, e vai formar profissionais em áreas ligadas ao esporte. Haverá alojamento com 120 lugares.

Recursos. Concluída em julho de 2012, ao custo de R$ 7 milhões, a pista de atletismo tem nove raias e é equipada para 32 esportes olímpicos. Orçado em R$ 43,1 milhões, o parque possuirá piscina para natação, nado sincronizado e polo. Já o pavilhão terá duas quadras poliesportivas e área de ginásticas e de lutas, ao custo de R$ 17 milhões.

Contraste de duas obras chama atenção O contraste entre as obras do Centro de Treinamento Esportivo e de um shopping ao lado, na avenida Alfredo Camarate, chama a atenção de quem passa na região. Enquanto a obra pública parece estagnada, o novo centro comercial, que começou a ser feito em 2013, será aberto em junho. “Independentemente do momento que as obras sejam entregues, a gente espera uma estrutura de ponta para receber atletas de elite”, disse o secretário adjunto de Estado de Turismo e Esportes, Rogério Romero. Segundo ele, o Estado está investindo R$ 50 milhões no projeto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave